Vinhos em Destaque

Monte das Bagas de Ouro Reserva Branco Adega do Montado
Nome: Monte das Bagas de Ouro Reserva Classe:  Vinho Branco Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas: Antão Vaz Nota de Prova:  A casta Antão Vaz foi a nossa inspiração, a nossa riqueza, a base e a razão deste Reserva. Aromaticamente é expressivo, intenso e envolvente, onde predominam os aromas de frutos tropicais com muita frescura e uma surpreendente acidez. O estágio de 6 meses em barricas de carvalho húngaro confere complexidade e estrutura, mas simultaneamente elegância e equilíbrio. Um Reserva que termina longo, que persiste e insiste em nos conquistar... Como Servir:  Entre 8 e 10º C Sugestões Gastronómicas:  Com pratos de peixe cozido ou grelhado. Teor Alcoólico:  14% Vol. Acidez Total: 5,7 g/L Acidez Volátil : 0,54 g/L Açucares Totais: 0,6g/dm3 Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício
Nóia Tinto Adega do Montado
Nome: Nóia (Ganda Nóia) Classe:  Vinho Tinto Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas:  Sangiovese 40%, Touriga Franca 40% e Alicante Bouschet 20% Este vinho foi inspirado, sonhado e desenhado a partir das castas Sangiovese, Touriga Franca e Alicante Bouschet. A inspiração surge na magnifica paisagem das nossas vinhas, onde as videiras crescem e permitem produzir uvas de grande qualidade, e com extraordinário potencial. Este vinho é fiel, com uma identidade e cumplicidade única, como o nosso Nóia Nota de Prova: Desenhar o vinho foi elaborar de forma precisa e cirúrgica o blend final. Potenciar a estrutura tânica do Sangiovese, com a frescura e jovialidade da Touriga Franca envolvido nas expressões de cacau, menta, especiarias do Alicante Bouschet.... Como Servir:  Entre 12 e 14º C. Teor Alcoólico:  14% Vol. Acidez Total: 4,4 g/L Acidez Volátil: 0,61 g/L Açucares Totais: 1,1g/dm3 Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício
Monte das Bagas de Ouro Reserva Tinto Adega Montado
Nome: Monte das Bagas de Ouro  Reserva Classe:  Vinho Tinto Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas:  Petit Verdot Nota de Prova: A casta Petit Verdot foi a nossa inspiração, a nossa riqueza, a base e a razão deste Reserva. Aromaticamente é expressivo, intenso e envolvente. Os frutos do bosque mesclados com notas florais de violetas, envolvidas numa nota tímida de tosta e pimenta conquistam-nos de imediato. O estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês confere complexidade e estrutura, mas simultaneamente elegância e equilíbrio. Um Reserva que termina longo, que persiste e insiste em nos conquistar... Como Servir:  Entre 14 e 16º C Teor Alcoólico:  15% Vol. Acidez Total : 4,9 g/L Acidez Volátil : 0,75 g/L Açucares Totais : 1,5g/dm3 Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício
Monte das Bagas de Ouro Branco Adega do Montado
Nome: Monte das Bagas de Ouro Classe:  Vinho Branco Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas: Antão Vaz 80% e Arinto 20% Vinificação: Nota de Prova:  Queremos que este vinho espelhe a paixão que nos prendeu à planície Alentejana.. as cores.. os aromas...os sabores. O sonho de expressar as emoções num vinho concretizou-se. Aromaticamente muito intenso, exuberante com uma expressão de alperce...marcante e muito sedutor. Ficamos com vontade de o provar. Na boca uma frescura irrequieta onde sobressai lima... acidez marcante, que gera muito prazer. Dá vontade de repetir. Um Alentejano diferente, com personalidade. Como Servir:  Entre 8 e 10º C Sugestões Gastronómicas:  Com pratos de peixe cozido ou grelhado. Como Servir:  Entre 6 e 8º C. Teor Alcoólico:  14% Vol. Acidez Total : 5,4 g/L Acidez Volátil: 0,31 g/L Açucares Totais: 0,8g/dm3 Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício
Nóia Branco Adega do Montado
Nome: Nóia (Ganda Nóia) Classe:  Vinho Branco Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas:  Arinto 50%, Antão Vaz 30% e Viognier 20% Este Vinho foi inspirado, sonhado e desenhado a partir das castas Arinto, Antão Vaz e Viognier. A inspiração surge na magnifica paisagem das nossas vinhas, onde as videiras crescem e permitem produzir uvas de grande qualidade, e com extraordinário potencial. Este vinho é fiel, com uma identidade e cumplicidade única, como o nosso Nóia Nota de Prova:  Desenhar o vinho foi elaborar de forma precisa e cirúrgica o Blend final. Potenciar o Arinto, privilegiando a acidez, frescura e salinidade e desta forma integrar a tropicalidade do Antão Vaz, com a sedutora e sublime expressão de alperce, acácia e violetas do Viognier. Como Servir:  Entre 6 e 8º C Sugestões Gastronómicas:  Com pratos de peixe cozido ou grelhado. Como Servir:  Entre 6 e 8º C. Teor Alcoólico:  13% Vol. Acidez Total: 4,9 g/L Acidez Volátil: 0,24 g/L Açucares Totais: 0,6g/dm3 Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício
Monte das Bagas de Ouro Rosé Adega do Montado
Nome: Monte das Bagas de Ouro Classe:  Vinho Rosé Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas:  Sangiovese 100% Nota de Prova:  Queremos que este vinho espelhe a paixão que nos prendeu à planície Alentejana.. as cores.. os aromas...os sabores. O sonho de expressar as emoções num vinho concretizou-se. Um Perfil único, inconfundível. Aromaticamente dominam as notas florais misturadas com expressões de frutos de outono, onde a romã impera e domina. Na boca este Sangiovese impressiona pela acidez, pela frescura que transmite e pelo prazer que proporciona. Dá vontade de harmonizar com boa companhia. Um Alentejano diferente, com personalidade. Como Servir:  Entre 6 e 8º C Como Servir:  Entre 6 e 8º C. Teor Alcoólico:  12.5% Vol. Acidez Total: 5.3 g/L Acidez Volátil: 0,23 g/L Açucares Totais: 0,7g/dm3 Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício
Monte das Bagas de Ouro Tinto Adega Montado
Nome: Monte das Bagas de Ouro Classe:  Vinho Tinto Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas:  Petit Verdot 50% e Syrah 50% Nota de Prova: Queremos que este vinho espelhe a paixão que nos prendeu à planície Alentejana.. as, cores.. os aromas...os sabores. O sonho de expressar as emoções num vinho concretizou-se. Este primeiro vinho revela-se perante nós com aromas exuberantes de frutos do bosque, um tostado elegante a par do exotismo de especiarias. Um vinho que nos faz despertar os sentidos e que nos remete para uma viagem de sensações fortes. Na boca muito volume equilíbrio e um final que termina longo. Dá vontade de harmonizar com boa companhia... Um Alentejano diferente, com personalidade. Como Servir:  Entre 12 e 14º C. Teor Alcoólico:  14,5% Vol. Acidez Total: 4,5 g/L Acidez Volátil: 0,90 g/L Açucares Totais : 1,9g/dm3 Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício
Monte das Bagas de Ouro Superior Branco Adega do Montado
Nome: Monte das Bagas de Ouro Superior Classe:  Vinho Branco Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas: Viognier Nota de Prova:  A inquietude e irreverência do projecto do Monte das Bagas de Ouro, expresso numa gama de qualidade impar a que designamos SUPERIOR. A personalização do exotismo da primeira edição desenvolveu-se a partir da casta VIOGNIER, criando um vinho raro numa edição especial.. SUPERIOR. Este Viognier de grande intensidade e definição aromática, envolve-nos num turbilhão de sensações mágicas, onde os frutos tropicais dominam. Na boca sentimos harmonia, o equilíbrio entre a frescura e o volume... entre a acidez e a persistência! Apetece repetir, pelo prazer que nos proporciona...pela paixão que nos desperta! Como Servir:  Entre 8 e 10º C Sugestões Gastronómicas:  Com pratos de peixe cozido ou grelhado. Teor Alcoólico:  14% Vol. Acidez Total: 4,2 g/L Acidez Volátil : 0,32 g/L Açucares Totais: 0,6g/dm3 Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício

Espirituosos em Destaque

Brandy Cordial Fine Old Litro
Nome:  Cordial Fine Old Brandy Capacidade:  100 Cl Origem:  Aguardente Vínica Destilação:  Em Método Continuo Envelhecimento:  Casco de Carvalho Período de Estágio :  12 Meses Teor Alcoólico:  38% Vol  
GIN Viognier Monte das Bagas
Nome:  Gin Viognier Monte das Bagas Origem:  Alentejo Ingredientes:  Zimbro, Coentros, Margaça, Raiz de Angélica, Malaguetas, Hortelã, Casca Tangerina, Orégãos e Cardamomo Nota Informativa:. Este Monte das Bagas Gin foi elaborado tendo como base a destilação de zimbro, ao qual juntámos peliculas de uvas prensadas da casta Viognier. Quisemos desenhar um Gin recorrendo aos botânicos: Zimbro, Coentros, Margaça, Raiz de Angélica, Malaguetas, Hortelã, Casca Tangerina, Orégãos e Cardamomo cultivados no Monte das Bagas em Serpa, que resultasse numa inspiração primaveril, fresca e floral. Este Gin remete-nos para as memórias dos passeios matinais no Monte, onde a expressão e o diálogo com a natureza traduzida pelas brisas florais nos toque a alma e refresque os sentidos. Inspirado na Primavera, proporcionando um prazer único todo o ano... Grau Alcoólico:  42% Vol. Enólogo:  Nelson Rolo / Paulo Maurício
Gin SALCOMBE
Nome:  Gin Salcombe Teor Alcoólico:  44 % Vol.
Gin Fidelity
Nome:  Gin Fidelity Ingredientes:  Água, Álcool e Aroma Natural Sugestões:  A mais conhecida receita é servido com água tónica, mas também é perfeito com sumos de citrinos Grau Alcoólico:  37.5% Vol. Aparência:  Liquido Cor:  Incolor Aspecto:  Límpido Aroma Principal:  Gin Paladar:  Gin Condições de Armazenamento:  Manter à temperatura ambiente ( 18ºC, 25ºC) protegido do ar e luz Informação obrigatória:  no rótulo(1) Ingredientes:  Agua, álcool, aromas Ingredientes potencialmente:  Alergénicos Grupos de consumidores: População em geral, excepto menores 18 anos e grávidas Estas especificações são verdadeiras e precisas de acordo com o nosso melhor conhecimento. Qualquer alteração no processo de fabrico ou nas matérias-primas que possam afectar a qualidade do produto serão comunicadas em devido tempo. O nosso Departamento da Qualidade está disponível para qualquer informação adicional. (1) Esta informação deverá estar de acordo com o Regulamento 1169/2011.

Aguardentes em Destaque

Aguardente Vinica Velha Couteiro-Mor
Nome:  Aguardente Vinica Velha Couteiro-Mor Castas:  Aragonês, Castelão, Trincadeira. A Destilação:  As massas prensadas foram directamente destiladas em alambique de cobre dos anos 50, sem qualquer tempo de armazenamento  de modo a preservar todas as qualidade particulares e aromas. O armazenamento de modo a preservar todas as qualidades, particularmente os aromas. O envelhecimento decorreu em barricas de Carvalho Nacional, onde a aguardente permanece até ao engarrafamento: Características Organolépticas:  Apresenta uma cor topázio carregada ligeiramente esverdeada, em aroma abaunilhado em que a madeira aparece muito bem casada com álcool. Na boca está macia, estrutura complexa e elegante, com um final muito prolongado.
Aguardente Medronho Guia
Nome:  Medronho Guia Classe:  Medronho Colheita:  Manuel e em caixas no ultimo trimestre de cada ano para alcançar o seu ponto de maturação Definição do Produto:  A Aguardente de medronho é uma aguardente de frutos, obtida exclusivamente por fermentação alcoólica seguida do fruto do medronho produzida na região sul do país. Modo de Fabrico:  Destilação Paladar:  Suave e Frutado Harmonização:  O Medronho bebe-se normalmente com café muitos consideram que deve ser bebido á temperatura ambiente embora algumas pessoas prefiram bebê-lo frio. Como Servir:  À Temperatura ambiente como digestivo, é o remate ideal para uma refeição Fresco em diferentes cocktails Cor:  Incolor Teor Alcoólico:  45% Vol.
Aguardente Bagaceira Velha Caves São João
Nome:  Aguardente Bagaceira Velha Envelhecida COLHEITA 1986 Vinificação:  20 Anos de envelhecimento em pipas de carvalho Francês. ANÁLISE SENSORIAL CorTopázio. Aspecto Límpido. AromaMuito rico e intenso, com notas de álcool, bagaço fresco, resinas e mentol, envolvidas por ténue percepção da madeira de carvalho onde envelheceu. SaborMuito aveludado, alcoólico e aromático. Lote de aguardentes obtidas da destilação de excelentes vinhos Bairrada, com tempo médio de envelhecimento de 17 anos, em pipas de carvalho Francês Limousin. Estas, foram lentamente desdobradas durante o seu largo envelhecimento, o que muito contribuiu para a sua finura e delicadeza. ANÁLISE FÍSICO-QUIMÍCA Álcool : 40º Vol. Metanol ( g/hl ):  251 Q.T.S.V além etanol e metanol: (g/hl a. a.) 806
Aguardente Velha Niepoort ( 25 Anos Casco )
Nome:  Aguardente Velha Niepoort Um velho histórico Niepoort Aguardente Vínica Velha com 25 anos de casco carvalho. Vinificação:  Em tempos, já lá vão 20 anos, esta Aguardente era muito apreciada e respeitada, mas deixou de ser comercializada. Ainda existia uma pequena parcela do lote original, na altura com 25 anos, envelhecido em pequenos cascos de carvalho. Cor:  Topázio escuro, com tons de amarelado. Aroma:  Muito fino e vinoso, com toque de madeira velha bem equilibrado. Paladar:  Paladar muito concentrado após longo estágio em madeira, grande intensidade com um final espirituoso longo. Informação:  Técnica Produtor Niepoort (Vinhos)S.A. Região  Douro Idade das Cepas:  Aproximadamente 35 Anos Estágio:  Pequenos cascos de carvalho velho. NOTA INFORMATIVA:  A empresa  Catuna & Silva tem o prazer de ainda ter algumas garrafas desta aguardente para comercializar e assim satisfazer os seus clientes com tão requintado produto.

Portos em Destaque

Porto Niepoort Colheita 1934
Nome: Porto Colheita 1934 São Tawny de um só ano, envelhecidos nas tradicionais Pipas de Vinho do Porto de 550 ou 600L por um período mínimo de 7 anos antes de serem engarrafados. Geralmente, os vinhos apresentam-se prontos a serem bebidos e sem necessidade de serem decantados. Os Portos Colheita são magníficos se servidos sozinhos no final da refeição embora combinem muito bem com sobremesas à base de frutos secos e caramelo ou baunilha, café. Como aperitivo, e no caso de um Colheita novo, a combinação com fois gras é também muito interessante. Vinificação: Nevou na região em Fevereiro e Março. As vinhas mostravam-se com um mês de atraso no seu ciclo vegetativo quando a Primavera chegou. O tempo aqueceu em meados de Abril mas a temperatura só aumentou verdadeiramente no final de Julho, princípio de Agosto, quando se atingiram temperaturas de 42 ºC. Na 2ª metade do mês de Agosto o tempo arrefeceu e a chuva caiu durante 10 dias. Durante a vindima choveu também na 2ª quinzena de Setembro. O clima irregular do ano de 1900 com alguns vinhos de grande qualidade foi um ponto de partida fulcral para que após uma criteriosa selecção o processo de envelhecimento nas pipas de 550 e 600 L se desenrolasse por um longo período aumentando ainda a concentração e qualidades deste Colheita. Notas de Prova: Alguma profundidade na cor, apesar da sua idade, apresenta alguns reflexos âmbar/esverdeados. O seu aroma leva-nos numa viagem infinita, com notas de fumo bem marcadas, acompanhado por notas de fruto seco torrado e café. Na boca salientam-se as notas de ameixa e figo seco com alguma baunilha. O conjunto é muito delicado e elegante. O final de boca é agradável e termina interminável. Uma experiência inesquecível. Informação Técnica: Produtor Niepoort (Vinhos) S.A. Região Douro Tipo de Solo Xisto Vinhas Vale do Pinhão e Ferrão Idade das Cepas Mais de 60 anos Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Tinta Roriz e outras Densidade por HA 4000-6000 Período de Vindima Set/Out Forma de Vindima Manual Fermentação Lagares/Pisa a pé Estágio Pequenos cascos de madeira (550L) Açúcar Residual 142.69 Álcool 22.11 Baumé 6.1 Acidez Total 6.52
Porto Constantino Colheita 1910
Nome:  Porto Constantino  Colheita 1910 Classe: Porto Região: Douro Castas: As melhores e mais Nobres Castas Tintas do Douro Idade das Cepas:  80  e mais de  100 Anos Vinificação:  O clima irregular do ano de 1910 com alguns vinhos de grande qualidade foi um ponto de partida fulcral para que, após uma criteriosa selecção, o processo de envelhecimento nas pipas de 550 e 600l se desenrolasse por um longo período, aumentando ainda a concentração e qualidades deste Colheita. Estagio:  Pequenos cascos de madeira (550l) Notas de Prova:  Com alguma profundidade na cor, apesar da sua idade, apresenta alguns reflexos âmbar/esverdeados. O seu aroma leva-nos numa viagem infinita, com notas de fumo bem marcadas, acompanhado por apontamentos de fruto seco torrado e café. Na boca salientam-se as sugestões de ameixa e figo seco com alguma baunilha. O conjunto é muito delicado e elegante. O final de boca é agradável e termina de forma interminável. Uma experiência inesquecível. Sugestão de Acompanhamento: Ideal para acompanhar Sobremesas, Doces, Queijos da Serra e Frutos Secos Teor Alcoólico:  21.0% Vol. Análise Físico-Química Açúcar Residual  G/DM3 )  142.69 Baumé:  6.1 Acidez Total ( G/DM3 ) 6.52
Porto Real Vinícola Garrafeira 1942
Nome: PORTO REAL VINICOLA GARRAFEIRA 1942 Um inverno muito seco seguido por uma primavera fria causou o retardo da floração, mas um pouco de chuva em junho acelerou a maturação das uvas. A vindima começou, em geral, a 2 de setembro. O tempo foi incerto a partir do dia 28 e, no seu todo, cinzento e fresco. As fermentações foram lentas.
Porto Quinta do Noval Vintage 2000
Nome:  Porto Quinta do Noval Vintage 2000 Região: Douro Sub-Região:  Gontelho, Cima Corgo Teor alcoólico: 20.0 % Vol. Curva de Envelhecimento: Pelas características organolépticas prevê-se uma maturação na garrafa positiva durante 3-10 anos. Conservação na cave: Humidade 70% e temperatura 14ºC. Sugestões gastronómicas: Servir com queijos e sobremesas não muito doces Como Servir:  Decante 2 horas antes e sirva por volta dos 16-18ºC Com amoras e cerejas. O doce médio maravilhoso, com taninos ultra refinados e um revestimento muito longo. Muito concentrado, contudo elegante e suave.
Porto Valriz Very Old Tawny 1858
NomePorto Valriz Very Old Tawny 1858 Historia do vinho Porto Valriz Very Old Tawny (1858) Vinho do Porto da colheita de 1858 foi produzido e engarrafado por Domingos Ayres de Mattos (1829-1890) e por si guardado na cave da “Casa de Cima”, sua residência. Seu filho Antonio Ayres de Mattos (1879-1956), pai dos atuais sócios da empresa familiar “Coimbra de Mattos, Lda.”, ciente da sua boa qualidade e talvez motivado por razões sentimentais, quis deixar aos herdeiros o destino de tal “tesouro”. Em 1969 e 2013 este vinho foi provado garrafa a garrafa e o que estava limpo de prova (quase todo!) foi de novo engarrafado. Este maravilhoso e único tawny (com mais de século e meio em garrafa!) foi colocado em 2013 ao dispor de quem por saber, prazer, paixão, … é apreciador do Vinho do Porto de superior Qualidade. Designação - D.O.C. – PORTO Castas:  Mistura das castas nobres do Douro Notas de Prova Cor - Âmbar com tons esverdeados Aromas - Intenso, que vai aumentando durante a prova, com aromas a mel, fruta caramelizada, café, notas de caril, tabaco e chocolate Sabor - Muito concentrado, aveludado e extremamente complexo de riqueza gustativa, com uma persistência de boca que ultrapassa a noção de tempo; uma autêntica surpresa sensorial! Nota:  É um vinho que pela sua idade, superior a 150 anos, merece que se “espere” por ele no copo para que demonstre a sua complexidade quer no aroma quer na boca. Classificado com notação de qualidade excepcional pelo IVDP, com o registo n.º 17872 Teor Alcoólico:  20.4% Vol. Análise Físico-Química Açúcar Baumé:  5.0 Acidez volátil ( G/DM3 ) 0.89 Enólogo:  Jean Hugues Gros
Porto Feist Colheita 1937
Nome:  Porto Feist Colheita 1937 Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Tinta Roriz Os Portos Colheitas são Tawny de um só ano, envelhecidos nas tradicionais Pipas de Vinho do Porto de 550 ou 600L por um período mínimo de 7 anos antes de serem engarrafados. Geralmente, os vinhos apresentam-se prontos a serem bebidos e sem necessidade de serem decantados. Os Portos Colheita são magníficos são servidos sozinhos no final da refeição embora combinem muito bem com sobremesas à base de frutos secos e café também como aperitivo. Notas de Prova: Alguma profundidade na cor, apesar da sua idade. O seu aroma leva-nos numa viagem infinita, acompanhado por notas de fruto seco torrado e café. Na boca salientam-se as notas de ameixa e figo seco com alguma baunilha. O conjunto é muito delicado e elegante. O final de boca. Uma experiência inesquecível. Sugestões:  Apreciar como aperitivo. Acompanha sobremesas doces. Como Servir:  Sirva por volta dos 17-18ºC Teor Alcoólico:  21% Vol.
Porto Taylor`s Vintage1945
NomePorto Taylor`s vintage1945  A primeira colheita pós-guerra foi um ano clássico marcado pela seca. O vinho foi engarrafado em Portugal devido a restrições legais em Inglaterra. "Cor aloirada profunda com estreita auréola âmbar. Muito poderoso, denso, quase avassalador, mostrando vigor extraordinário e muito fundo. Ainda incrivelmente jovem. Rico, opulento, bolo inglês de frutos secos coberto por fragrâncias florais delicadas e complexas. Enorme diversidade de aromas que conseguem combinar-se harmoniosamente. Lindamente equilibrado e elegante.”

Espumantes em Destaque

Espumante Quinta do Poço do Lobo Arinto & Chardonay Bruto
Nome:  Quinta do Poço do Lobo ( BRUTO ) Região:  Bairrada  DOC Bruto Natural Método:  Clássico Castas: Arinto & Chardonay Vinificação:  . Após uma prensagem muito delicada das uvas, vindimadas no início (Chardonnay) e em meados de Setembro (Arinto), o mosto fermentou durante 16 dias em cubas de aço inoxidável a temperatura controlada. A elaboração, seguindo o método clássico, iniciou-se em Março de 2015 com a tiragem, tendo a refermentação decorrido em cave durante 25 dias a 15 ºC, ao que se seguiu um período de estágio em garrafa, sobre borras, de 18 meses, para o primeiro lote degorjado, em Setembro de 2016. Nota de Prova Cor:  Amarela citrina Aroma. Intenso, com notas de flores de citrinos, ananás, Pêssego e ligeira tosta. Sabor. Na boca é fresco, elegante e muito bem balanceado. Confirmam-se as sensações aromáticas percecionadas pela olfacção directa. Sugestões Gastronómicas:  Aperitivos, peixes gordos, carnes brancas e sobremesas Como Servir:  Entre 8º e 9ºC Teor Alcoólico:  12,5% Vol. Análise Físico-Química Sobrepressão (bar): 5,9 Acidez volátil ( g acético/l ) 0,38 Acidez total ( g tartárico/l ) ,6,33 ph: 3,13 Extracto seco total ( g/l ): 24,1 Açucares totais ( g/l ): 4,0 SO2  Total ( mg/l ): 87 Potencial de envelhecimento: 2 anos após dégorgement Enólogo:  José Carvalheira
Espumante Caves São João 100 Anos de História
Nome:   Caves São João 100 Anos de História Região:  Bairrada  DOC Castas: Pinot Noir Vinificação:  Após uma prensagem muito delicada das uvas, vindimadas no final de Agosto, o mosto fermentou durante 15 dias em cubas de aço inoxidável a temperatura controlada. A elaboração, seguindo o método clássico, iniciou-se em Março de 2016 com a tiragem com leveduras livres, tendo a refermentação decorrido em cave durante 25 dias a 14 ºC, ao que se seguiu um período de estágio em garrafa, sobre borras, de 48 meses, para o primeiro lote desgorjado, em Maio de 2020. Nota de Prova: Cor:  Amarela com nuances plúmbeas Aroma:  Amêndoas torradas, tostas, flores secas, biscoitos de manteiga, brioche, figos secos, mel, casca de citrinos, frutas cristalizadas, giz e resquícios de frutos vermelhos dominam o aroma deste espumante muito rico e complexo. Sabor:  Amêndoas torradas, tostas, flores secas, biscoitos de manteiga, brioche, figos secos, mel, casca de citrinos, frutas cristalizadas, giz e resquícios de frutos vermelhos dominam o aroma deste espumante muito rico e complexo Sugestões Gastronómicas:  Peixes, mesmo com molhos, aves e outras carnes brancas, carne de veado, queijos, entre muitas outras iguarias. Como Servir:  Entre 10º e 12ºC Teor Alcoólico:  12,8% Vol. Análise Físico-Química Sobrepressão (bar): 6,6 Acidez volátil ( g acético/l ) 0,37 Acidez total ( g tartárico/l ) 5.7 ph: 3,20 Extracto seco total ( g/l ): 22,6 Açucares totais ( g/l ): 0,8 SO2  Total ( mg/l ): 66 Potencial de envelhecimento: 3 anos após dégorgement Enólogo:  José Carvalheira
Espumante Monte das Bagas de Ouro Adega do Montado
Nome: Espumante Monte das Bagas de Ouro Classe:  Espumante Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas: Arinto Nota de Prova:  Este primeiro Espumante Monte das Bagas resulta da vontade de criar um vinho único, com todo o rigor e exigência do método clássico. A partir da casta Arinto apresenta-se com uma cor citrina, libertando aromas florais intensos, mesclados com um ligeiro toque de panificação e expressões vegetais que nos desafiam. Um perfil ousado com Perlage intenso, irrequieto, de pequeníssimas bolhas, proporcionando em prova sensações selénicas de acidez vibrante, uma mousse equilibrada e cremosa, que nos apaixona, persiste e nos toca na alma. Como Servir:  Entre 6 e 8º C Teor Alcoólico:  11,5% Vol. Acidez Total: 4,2 g/L Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício
Espumante Caves São João Bruto
Nome:  Espumante São João ( Bruto ) Região:  IGP Beira Atlântico Método:  Clássico Castas:  Bical (40%),  Maria Gomes (35%), Chardonnay (10%),  Arinto (10%) e/and Baga (5%). Vinificação: Após uma prensagem muito delicada das uvas, vindimadas entre o início e meados de Setembro, o mosto fermentou durante 15 dias em cubas de aço inoxidável a temperatura controlada. A elaboração, seguindo o método clássico, iniciou-se em Março de 2016 com a tiragem, tendo a refermentação decorrido em cave durante 20 dias a 15º C, ao que se seguiu um período de estágio em garrafa, sobre borras, de 9 meses. Nota de Prova: Cor Amarela citrina pálida. Aroma:  Intenso, com notas de pêssego, ananás, bem como casca de citrinos e tostado ligeiro. Sabor. Confirmam-se as sensações aromáticas da olfacção directa, É fresco e bem balanceado. Sugestões Gastronómicas:  Aperitivos, peixes, carnes brancas e sobremesas. Como Servir:  Entre 7º e 9ºC Teor Alcoólico:  12,0% Vol. Análise Físico-Química Sobrepressão (bar): 5,7 Acidez volátil ( g acético/l ) 0,44 Acidez total ( g tartárico/l ) ,6,2 ph: 3,24 Extracto seco total ( g/l ): 23.8 Açucares totais ( g/l ): 4.9 SO2  Total ( mg/l ): 119 Potencial de envelhecimento: 2 anos após dégorgement Enólogo:  José Carvalheira
Espumante Milénio
Nome:  Espumante Milénio Reserva Bruto Região:  DÃO Designação:  DOC  Dão Método:  Clássico Castas:  Malvasia Fina Vinificação: Com fermentação em garrafa ente 14 e 15ºC. O dégorgement fez-se ao fim de 24 meses. Estágio:  Em garrafa Nota de Prova:  Amarelo citrino, bolha fina e persistente, aroma delicado. Na boca surpreende pela frescura da acidez e leveza. Maturação e Envelhecimento:  Para beber já ou, idealmente, nos próximos cinco anos. Sugestões Gastronómicas:  Ideal para acompanhar a refeição do principio ao fim ou para celebrar os bons momentos da vida. Como Servir:  Entre 6 e 8ºC Teor Alcoólico:  12,5% Vol. Parâmetros Analíticos Acidez Total:  6.8 g/L Acidez Volátil:  0,20 g/L ph:  3,2 Açucares redutores: 4 g/L Enólogo:  Cristina Machado
Conde Ervideira Espumante Da Água
Nome:  Conde Ervideira espumante Da Água Região:  Alentejo Designação:  DOC Alentejo Castas:  Arinto, Antão Vaz, Gouveio e Alvarinho. Vinificação: O Vinho, base do espumante, é vinificado casta a casta, decorrendo a fermentação alcoólica em depósitos de inox, com temperatura controlada. A segunda fermentação ocorre no fundo do grande lago do alqueva a 30m de profundidade com temperatura constante e ausência total de luz durante 9 meses Longevidade:  2 a 3 anos. Prova:  Elaborado a partir de 4 castas, que festejam as 4 gerações Ervideira, estagiou durante 9 meses em garrafa, no fundo do maior lago da Europa, o Alqueva. Resulta um Espumante de cor citrina, libertando um aroma fresco e fino. Na boca revela uma bolha fina, persistente e muito elegante. Como Servir:  Entre 7 e 9º C. Enólogo: Nelson Rolo
Espumante Muros Antigos Alvarelhão
Nome:  Muros Antigos Alvarelhão Região:  Vinho Verde  DOC Método:  Clássico Castas: Alvarelhão Tipo de  Vinho:  Muros Antigos Alvarelhão é um vinho espumante blanc de noir obtido a partir da casta Alvarelhão.  Esta casta é uma das castas Tintas mais antigas de Portugal que se revela em excelência na sub-região de Monção/Melgaço sendo a casta tinta de eleição. São seleccionadas as melhores parcelas destas casta e a casta e a vindima destas parcelas. Vinificação:  As uvas São Prensadas inteiras para obtenção de um mostro de grande qualidade o mostro de grande qualidade. O mostro lágrima é arrefecido e decantado a baixas temperaturas durante 48 horas. Segue-se um período de estágio sobre as borras de 5 anos por forma a obter uma total autólise das leveduras . O processo de espumantização seguiu o método tradicional de fermentação em garrafa e estágio de 12 meses. Nota de Prova: Cor:  Dourada pálida. Aroma. Finos a mel, marmelo e biscoito ainda envolto em alguma fruta vermelha  Acidez vincada e fresca com uma bolha fina e delicada.  Mousse cremosa e adocicada. Final persistente onde sobressaem sabores a biscoito e fruta. Como Servir:  Entre 8º e 9ºC Teor Alcoólico:  12,5% Vol. Análise Físico-Química Acidez total g/l:  6,02 ph: 3,21 Enólogo:  Anselmo Mendes
Espumante Terras do Demo Pata de Lebre Bruto
Nome:  Espumante Terras do Demo Branco Pata de Lebre Bruto Região:  Távora-Varosa Designação:  VEQPRD. Távora - Varosa Método:  Clássico Castas:  Malvasia Fina e Gouveio Vinificação:  Sistema de "Bica Aberta" com decantação e Fermentação a baixas temperaturas e controladas. Estágio:  Em garrafa Nota de Prova: Aspecto:  Límpido Bolha:  Muito fina e delicada, com excelente persistência. Cor: Com tons de palha dourada. Aroma:  Intenso e complexo com notas florais e a frutas maduras. Paladar:  Fresco elegante, com um final harmonioso e persistente. Maturação e Envelhecimento:  Com um ciclo de produção de 18 meses, dos quais 12 com fermentação a temperaturas baixas e controladas, onde ganha complexidade aromática e gustativa. Sugestões Gastronómicas:  Acompanhamento de Mariscos, Ostras, caviar, peixes fumados, aves e carnes brancas. Como Servir:  Entre 7 e 8ºC Teor Alcoólico:  12,0% Vol. Sobrepressão: Bar 6,0 Acidez Total:  g/dm3 - 5 ph:  3,0 Açucares Totais:  <g/dm3-4,0 Enólogo:  Cristina Machado  

Licores em Destaque

Licor Melosa Medronho C/Mel
Nome:  Licor Melosa Medronho C/ Mel Produto: Ingredientes :  Água Mel, Aguardente de Medronho. Limão e Canela A Melosa é uma bebida, alcoólica de tradições Seculares Esta Suave bebida desenvolve-se tendo por base os produtos locais Algarvios Produto Natural sujeito a criar depósito.> (Agitar antes de  Consumir). Composição:  Água, Mel, Aguardente de Medronho, Limão e Canela Grau Alcoólico:  14.4%
Licor Serrenho Serra do Caldeirão
Nome:  Licor Serrenho Ingredientes:  Aguardente de Mel, Mel e Ervas Aromáticas da Região, incluindo o Poejo e Água Maturação e Clarificação do Licor:  Depósitos em Inox. Grau Alcoólico:  20% Produto Genuíno da Serra do Caldeirão
Licor Ameixa Serra do Caldeirão
Nome: Licor de Ameixa Ingredientes:  Aguardente, Ameixa, Açúcar e Água Maturação e Clarificação do Licor:  Depósitos em Inox. Grau Alcoólico:  20% Produto Genuíno da Serra do Caldeirão
Algarmel Licor de Mel
Nome: Licor de Mel Algarmel Teor Alcoólico:  18% Vol. Açúcar  Totais:  250 Aparência:  Liquido Cor:  Amarelado Aspecto:  Límpido Aroma:  Principal mel Paladar:  Mel Condições de Armazenamento:  Local seco, fresco, isento odores e protegido da luz solar Ingredientes:  Agua, açúcar, álcool, aromas e corante E150b Modo de Utilização: Tal qual Prazo de Validade depois de aberto 1 ano.. Grupos de Consumidores:  População em geral excepto menores 18 anos e Grávidas Informação obrigatória rótulo 1 Ingredientes:  Agua, Açúcar, Álcool, Aroma de mel, espessante E466 e corante E 150B Prazo de validade depois de aberto:  1 ano Qualquer alteração no processo de fabrico ou nas matérias-primas que possam afectar a qualidade do produto serão comunicadas em devido tempo ao nosso Departamento da Qualidade está disponível para qualquer informação adicional. Estas especificações são verdadeiras e precisas de acordo com o nosso melhor conhecimento. (1) Esta informação deverá estar de acordo com o Regulamento 1169/2011.
Licor Amêndoa Amarga A Marafada
Nome: Licor Amêndoa Amarga (A Marafada) Teor Alcoólico:  16% Vol. Açúcares Totais: 343 Aparência: Liquido Cor: Amarela Aspecto: Lìmpido Aroma Principal: Amêndoa Amarga Condições de Armazenamento: Local seco, fresco, isento odores e protegido da luz solar Tempo de Prateleira: 5 anos Ingredientes: Agua, açúcar, álcool, aromas e corante E150b Modo de Utilização Tal qual Prazo de Validade depois de aberto 1 ano Estas especificações são verdadeiras: e precisas de acordo com o nosso melhor conhecimento. Qualquer alteração no processo de fabrico ou nas matérias primas que possam afectar a qualidade do produto serão comunicadas em devido tempo. O nosso Departamento da Qualidade está disponível para qualquer informação adicional. (1) Esta informação deverá estar de acordo com o Decreto-lei 560/99.
Licor Murta Serra do Caldeirão
Nome:  Licor de Murta Ingredientes:  Aguardente, Bagas de Murta, Açúcar e Água Maturação e Clarificação do Licor:  Depósitos em Inox. Grau Alcoólico: 20% Produto Genuíno da Serra do Caldeirão.
Licor de Poejo Serra do Caldeirão
Nome:  Licor de Poejo Ingredientes:  Aguardente, Poejo, Açúcar e Água Maturação e Clarificação do Licor:  Depósitos em Inox. Grau Alcoólico:  20% Produto Genuíno da Serra do Caldeirão.
Licor de Café Tia Anica de Loulé
Nome:  Licor de Café Tia Anica Teor Alcoólico: 20% Vol. Açucares Totais:  240(g/l) Aparência:  Liquido Cor:  Acastanhado Aspecto:  Límpido Aroma Principal:  Café Paladar:  Café Ingredientes:  Água, açúcar, álcool, Aromas, espessante E466 e Corante E150b Ingredientes potencialmente. Modo de utilização:  Tal e qual ou para mistura em cocktails Prazo de Validade depois de aberto :  1 ano Grupos de Consumidores:  População em geral excepto menores 18 anos e Grávidas Qualquer alteração no processo de fabrico ou nas matérias-primas que possam afectar a qualidade do produto serão comunicadas em devido tempo ao nosso Departamento da Qualidade está disponível para qualquer informação adicional.
  • Esta informação deverá estar de acordo com o Regulamento 1169/2011.

Vinhos mais recentes

Batuta Tinto 2017 – 1,5 Litro Niepoort
Nome:  Batuta 2017 Classe:  Vinho Tinto Região:  Douro Classificação:  D.O.C. Douro Idade das Cepas:  70 e mais de 100 anos Vinhas:  Quinta do Carril e outras vinhas velhas Castas:  Tinta Roriz, Touriga Franca, Rufete, Malvazia Preta e outras. Vinificação:  O Ano vitícola de 2017 caracteriza-se por um Inverno seco, com precipitações muito inferiores à media dos últimos 30 anos, e uma Primavera quente e seca, com ondas de calor até ao final de Junho. Com o aumento das temperaturas médias e a falta de precipitação a videira mostrou um avanço na fenologia de cerca de 15 dias desde o abrolhamento até ao Pintor. O Verão continuou com temperaturas altas e precipitação baixa originando um inicio de vindima precoce, intensa e curta Notas de Prova:  Com uma bonita cor rubi de boa concentração, o Batuta 2017 demonstra um pouco mais de concentração e sobretudo profundidade face às últimas colheitas. Apresenta um aroma muito austero, complexo e generoso nas notas de frutas do bosque. Ligeiramente floral e de carácter mineral muito bem definido com as notas de madeira são elegantes e discretas. Fino e elegante na boca, com muito boa acidez que suporta a estrutura tânica. Apesar de jovem, impressiona pela precisão e profundidade. Final de boca muito fino, longo e sedutor. Irá envelhecer com grande classe. Estágio:  22 meses em barricas de carvalho francês Sugestões Gastronómicas:  O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril, lulas ou polvo assado Como Servir:  Entre 16º e 18ºC Teor Alcoólico:  12.4% Vol. Físico-Química Extracto Seco  G/DM3 )  26.3 Acidez residual  G/DM3 )  0.6 PH  3.63 Acidez Total ( G/DM3 ) 5 Acidez volátil ( G/DM3 ) 0,8 SO2 Livre de Enchimento ( MG/DM3 ) 21 SO2  Total ( MG/DM3): 83 Massa Volúmica ( G/CM3 ) 0.99 APTO PARA VEGANOS & VEGETARIANOS  Sim Enólogo:  Dirk Niepoort
Dão Porta dos Cavaleiros Reserva Tinto 1991 1,5 L
Nome:  Dão Porta  DOS Cavaleiros  1991 1,5 L Classe:  Vinho Tinto Região:  Dão Designação:  DOC Dão Fundada em 1920 pelos irmãos José, Manuel e Albano Costa, as Caves São João são uma empresa familiar que, a princípio, se dedicava à comercialização de vinhos finos de Douro e licores. Aquela que é hoje a empresa familiar vinícola mais antiga ainda em atividade no concelho de Anadia, passou, nos anos 30 Vinificação:  Uvas provenientes de um dos melhores terroirs da região do Dão, vinificadas de forma cuidada pela tecnologia clássica de curtimenta. Como Servir:  Entre 16º e 17ºC Teor Alcoólico:  13% Vol.
Quinta Poço do Lobo Reserva 1994 1,5 L
Nome:  Quinta Poço do Lobo Reserva 1994 1,5 L Classe:  Vinho Tinto Região:  Beiras Designação:  Vinho Regional Beiras Castas:  Cabernet  Sauvignon 100% Vinificação:  AS melhores uvas criadas na nossa Quinta .do Poço do Lobo foram vindimadas manualmente , e após uma rigorosa selecção e desengace m maceraram 2 semanas em lagar com pisador pneumático. Após a fermentação malolática o vinho estagiou. Sugestões Gastronómicas:  Carnes Vermelhas assadas ou grelhadas, queijos de pasta mole e caça, entre outras iguarias. Como Servir:  Entre 16ºC Teor Alcoólico:  13% Vol.
Quinta Poço do Lobo Reserva 1996 1,5 L
Nome:  Quinta Poço do Lobo Reserva 1996 Classe:  Vinho Tinto Região:  Beiras Designação:  Vinho Regional Beiras Castas:  Cabernet  Sauvignon 100% Vinificação:  AS melhores uvas criadas na nossa Quinta .do Poço do Lobo foram vindimadas manualmente , e após uma rigorosa selecção e desengace m maceraram 2 semanas em lagar com pisador pneumático. Após a fermentação malolática o vinho estagiou. Sugestões Gastronómicas:  Carnes Vermelhas assadas ou grelhadas, queijos de pasta mole e caça, entre outras iguarias. Como Servir:  Entre 16ºC Teor Alcoólico:  14% Vol.
Quinta do Sobreiró de Cima Reserva Tinto 1,5 L
Nome:  Quinta do Sobreiró de Cima Reserva 1,5 L Classe:  Vinho Tinto Região:  Trás Os Montes Designação: DOC  Trás Os Montes Castas: Touriga Nacional (50%), Trincadeira (35%), Bastardo (15%). Origem:  Solos xistosos da Quinta do Sobreiró de Cima, com exposição predominante Sul. Vinificação:  Vindima manual para pequenas caixas perfuradas. Recepção com desengace e esmagamento de imediato. Fermentação em cubas inox, com curtimenta em temperatura controlada de cerca de 23ºC. Maceração prolongada e fermentação maloláctica em madeira de carvalho. Estágio: Durante 12 meses em madeira de carvalho francês. Notas de Prova: Na Quinta do Sobreiró de Cima selecionamos as melhores uvas das castas Touriga Nacional, Trincadeira e Bastardo para criar o nosso vinho tinto Reserva. De cor granada profunda, tem um aroma de frutos pretos maduros, especiarias e um toque balsâmico, harmonizados pelo estágio em madeira de carvalho francês durante 12 meses. Na boca sente-se um frutado intenso, com taninos aveludados e um final longo e persistente. O nosso Reserva é um vinho mais encorpado, cujo estágio conferiu mais complexidade e equilíbrio. Sugestões Gastronómicas:  Este vinho é ideal para acompanhar pratos intensos de carne, caça ou queijos. Como Servir:  Servir a uma temperatura de 17ºC. Dados Analíticos: pH:  3,6 Acidez Total: 5.2 g/L Açúcares Totais:  3.0 g/L Teor Alcoólico:  14%  Vol. Enólogo:  Luís Cortinhas
Quinta da Boa Esperança Syrah 1,5 L
Nome:  Quinta da Boa Esperança Classe:  Vinho Tinto Região:  Lisboa Designação: Vinho Regional Lisboa Castas: Syrah 100% Nas Terras argilo-calcárias da Zibreira a Quinta da Boa Esperança é temperada pela influência marítima e beneficia de uma exposição solar de excelência. Em sintonia com a Natureza e com os antigos saberes, criamos um vinho genuíno que nos transporta a uma experiência única. Vindima:  100% manual para caixas de 15 kg Vinificação:  Desengace total, seguido de maceração pré-fermentativa a 8ºC durante 48 horas Fermentação:  Com temperatura controlada de 24 graus. Nota de Prova:  Vinho de cor granada intensa, onde dominam os aromas de fruta preta e especiarias, típicos da casta. Fresco e intenso na boca, com taninos firmes que lhe conferem um final longo. Como Servir:  Servir a uma temperatura de 16ºC. Dados Analíticos: pH:  3,4 Acidez Total: 5.9 g/L Teor Alcoólico:  14%  Vol. Enólogo:  Paula Fernandes
Quinta da Boa Esperança Rosé 750 Ml – 1.5 L – 3 L
Nome:  Quinta da Boa Esperança Classe:  Vinho Rosé Região:  Lisboa Designação: Vinho Regional Lisboa Castas:  Castelão (40%),Touriga Nacional (40%) e Syrah (20%) Nas Terras argilo-calcárias da Zibreira a Quinta da Boa Esperança é temperada pela influência marítima e beneficia de uma exposição solar de excelência. Em sintonia com a Natureza e com os antigos saberes, criamos um vinho genuíno que nos transporta a uma experiência única. Vindima:  100% manual para caixas de 15 kg Vinificação:  Desengace total e fermentação em inox com temperatura controlada de 12 graus. Nota de Prova:  De cor salmão pouco intensa, aroma fino delicado. Na boca é fresco, estruturado, intenso, com final muito longo Como Servir:  Servir a uma temperatura de 8ºC. Dados Analíticos: pH:  3,38 Acidez Total: 5.29 g/L Teor Alcoólico:  12.5% Vol. Enólogo:  Paula Fernandes
Quinta da Boa Esperança Rosé 3 Litros
Nome:  Quinta da Boa Esperança Classe:  Vinho Rosé Região:  Lisboa Designação: Vinho Regional Lisboa Castas:  Castelão (40%),Touriga Nacional (40%) e Syrah (20%) Nas Terras argilo-calcárias da Zibreira a Quinta da Boa Esperança é temperada pela influência marítima e beneficia de uma exposição solar de excelência. Em sintonia com a Natureza e com os antigos saberes, criamos um vinho genuíno que nos transporta a uma experiência única. Vindima:  100% manual para caixas de 15 kg Vinificação:  Desengace total e fermentação em inox com temperatura controlada de 12 graus. Nota de Prova:  De cor salmão pouco intensa, aroma fino delicado. Na boca é fresco, estruturado, intenso, com final muito longo Como Servir:  Servir a uma temperatura de 8ºC. Dados Analíticos: pH:  3,38 Acidez Total: 5.29 g/L Teor Alcoólico:  12.5% Vol. Enólogo:  Paula Fernandes

A empresa Catuna & Silva Lda, desde 1981, é uma referência no ramo da distribuição alimentar e bebidas. Faz distribuição de vinhos directa ao mercado EUREKA e também a alguns grupos da grande dimensão.

Fazemos distribuição directa no Algarve, Baixo Alentejo e na província da Andaluzia, não obstante vendemos para todo o país.

Representamos toda a gama de Portos: Fonseca, Niepoort, Reccua, Quinta do Infantado, e ainda a marca própria Porto Tinoco.

Também fazemos lembrar que temos uma grande variedade de Portos datados e vintages.