Porto Fonseca Terra Prima (Bio)
Nome: Terra Prima Reserva BIO Foi o primeiro vinho do Porto a ser produzido utilizando unicamente uvas provenientes de viticultura biológica da sua mais emblemática propriedade, a Quinta do Panascal. Notas De Prova: Um  Porto  maravilhosamente  rico  e  concentrado,  com  fantástico  sabor  e  textura.  Tem  um  nariz  opulento  de  frutos  negros  que continua  no  paladar,  mostrando  camadas  de  intenso  fruto  silvestre, ameixa e cereja, suportados por taninos firmes, mas bem integrados. Um  Porto  Reserva  deliciosamente  texturado,  que  é  aveludado, suave, suculento e volumoso. Sugestões Gastronómicas: O acompanhante perfeito para um fondant de chocolate e mirtilos ou para um gratificante prato de trufas de chocolate servido depois de jantar.
Porto Niepoort Bioma Vintage 2013
Nome:  Porto Niepoort Bioma Vintage 2013 Região:  Douro Idade das Cepas: 80 e mais de 100 Anos Vinha:  Vinha da Pisca, Vale do Pinhão e Ferrão. Castas:  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Sousão, Tinta Roriz e outras. A introdução de um novo Porto Vintage de excelência ao portefólio da Niepoort, o Bioma “Vinha Velha”, dá-nos a oportunidade de criar ou recriar um estilo de Vintage que não só respeita o “terroir”, mas que também nos faz regressar à idade de ouro do Vinho do Porto. No coração do conceito do Bioma “ Vinha Velha” está uma vinha muito especial (Vinha da Pisca), numa localização muito particular da região do Douro Vinificação:  No nosso centro de vinificação de Vinhos do Porto, em Vale de Mendiz, as uvas foram pisadas a pé na sua totalidade, com 100% de engaço. Após a fortificação com aguardente vínica, o Porto ficou a estabilizar durante o Inverno. Na Primavera, o vinho foi transferido para uma zona muito fresca da adega na Quinta de Nápoles e colocado em pipas (pipas tradicionais de 550l). O envelhecimento deste Porto em pipas numa adega fresca no Douro, e não em grandes tonéis em Gaia, adicionado ao facto de se engarrafar o Bioma “Vinha Velha” no terceiro ano após a colheita, cria um vinho excepcionalmente complexo. Curiosamente, era desta forma que se procedia nos “velhos tempos”, quando o vinho era expedido em pipas para Inglaterra, e era engarrafado mais tarde Estágio:  3 anos em pipas. Notas de Prova:  De cor roxa carregada, acompanhada por um rebordo roxo. Com o tempo, o vinho ganhou em cor, mas no aroma, a fruta jovem exuberante muito evidente após o seu primeiro Inverno, tornou-se mais fechada, embora ainda muito presente no palato com ameixas e amoras. Taninos granulosos firmes no palato médio dão força e estrutura ao vinho, conduzindo a um final granuloso mas não agressivo. Sugestões de Acompanhamento: Perfeito com Queijo da Serra, Stilton ou outros queijos azuis. Sobremesas com doces de ovos, tal como pão de ló. Teor Alcoólico:  19.5% Vol. Análise Físico-Química Extracto Seco:  138.6 Açúcar Residual  G/DM3 )  109 Baumé  4.1 PH  3.54 Acidez Total ( G/DM3 )  4.54 Acidez Volátil ( G/DM3 )  0.28 SO2 Total (MG/DM3)  40 MASSA VOLÚMICA (G/CM3)  1.0274 Enólogo:  Dirk Niepoort
Porto Niepoort Bioma Vintage 2015
Nome:  Porto Niepoort Bioma Vintage 2015 Região:  Douro Idade das Cepas: 80 e mais de 100 Anos Vinha:  Vinha da Pisca, Vale do Pinhão e Ferrão. Castas:  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Sousão, Tinta Roriz e outras. A introdução de um novo Porto Vintage de excelência ao portefólio da Niepoort, o Bioma “Vinha Velha”, dá-nos a oportunidade de criar ou recriar um estilo de Vintage que não só respeita o “terroir”, mas que também nos faz regressar à idade de ouro do Vinho do Porto. No coração do conceito do Bioma “ Vinha Velha” está uma vinha muito especial (Vinha da Pisca), numa localização muito particular da região do Douro Vinificação:  No nosso centro de vinificação de Vinhos do Porto, em Vale de Mendiz, as uvas foram pisadas a pé na sua totalidade, com 100% de engaço. Após a fortificação com aguardente vínica, o Porto ficou a estabilizar durante o Inverno. Na Primavera, o vinho foi transferido para uma zona muito fresca da adega na Quinta de Nápoles e colocado em pipas (pipas tradicionais de 550l). O envelhecimento deste Porto em pipas numa adega fresca no Douro, e não em grandes tonéis em Gaia, adicionado ao facto de se engarrafar o Bioma “Vinha Velha” no terceiro ano após a colheita, cria um vinho excepcionalmente complexo. Curiosamente, era desta forma que se procedia nos “velhos tempos”, quando o vinho era expedido em pipas para Inglaterra, e era engarrafado mais tarde Estágio:  3 anos em pipas. Notas de Prova:  De cor roxa carregada, acompanhada por um rebordo roxo. Com o tempo, o vinho ganhou em cor, mas no aroma, a fruta jovem exuberante muito evidente após o seu primeiro Inverno, tornou-se mais fechada, embora ainda muito presente no palato com ameixas e amoras. Taninos granulosos firmes no palato médio dão força e estrutura ao vinho, conduzindo a um final granuloso mas não agressivo. Sugestões de Acompanhamento: Perfeito com Queijo da Serra, Stilton ou outros queijos azuis. Sobremesas com doces de ovos, tal como pão de ló. Teor Alcoólico:  19.5% Vol. Análise Físico-Química Extracto Seco:  138.6 Açúcar Residual  G/DM3 )  109 Baumé  4.1 PH  3.54 Acidez Total ( G/DM3 )  4.54 Acidez Volátil ( G/DM3 )  0.28 SO2 Total (MG/DM3)  40 MASSA VOLÚMICA (G/CM3)  1.0274 Enólogo:  Dirk Niepoort
Porto Niepoort Bioma Vintage 2016
Nome:  Porto Niepoort Bioma Vintage 2016 Região:  Douro Idade das Cepas: 80 e mais de 100 Anos Vinha:  Vinha da Pisca, Vale do Pinhão e Ferrão. Castas:  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Sousão, Tinta Roriz e outras. A introdução de um novo Porto Vintage de excelência ao portefólio da Niepoort, o Bioma “Vinha Velha”, dá-nos a oportunidade de criar ou recriar um estilo de Vintage que não só respeita o “terroir”, mas que também nos faz regressar à idade de ouro do Vinho do Porto. No coração do conceito do Bioma “ Vinha Velha” está uma vinha muito especial (Vinha da Pisca), numa localização muito particular da região do Douro Vinificação:  No nosso centro de vinificação de Vinhos do Porto, em Vale de Mendiz, as uvas foram pisadas a pé na sua totalidade, com 100% de engaço. Após a fortificação com aguardente vínica, o Porto ficou a estabilizar durante o Inverno. Na Primavera, o vinho foi transferido para uma zona muito fresca da adega na Quinta de Nápoles e colocado em pipas (pipas tradicionais de 550l). O envelhecimento deste Porto em pipas numa adega fresca no Douro, e não em grandes tonéis em Gaia, adicionado ao facto de se engarrafar o Bioma “Vinha Velha” no terceiro ano após a colheita, cria um vinho excepcionalmente complexo. Curiosamente, era desta forma que se procedia nos “velhos tempos”, quando o vinho era expedido em pipas para Inglaterra, e era engarrafado mais tarde Estágio:  3 anos em pipas. Notas de Prova:  De cor roxa carregada, acompanhada por um rebordo roxo. Com o tempo, o vinho ganhou em cor, mas no aroma, a fruta jovem exuberante muito evidente após o seu primeiro Inverno, tornou-se mais fechada, embora ainda muito presente no palato com ameixas e amoras. Taninos granulosos firmes no palato médio dão força e estrutura ao vinho, conduzindo a um final granuloso mas não agressivo. Sugestões de Acompanhamento: Perfeito com Queijo da Serra, Stilton ou outros queijos azuis. Sobremesas com doces de ovos, tal como pão de ló. Teor Alcoólico:  19.5% Vol. Análise Físico-Química Extracto Seco:  138.6 Açúcar Residual  G/DM3 )  109 Baumé  4.1 PH  3.54 Acidez Total ( G/DM3 )  4.54 Acidez Volátil ( G/DM3 )  0.28 SO2 Total (MG/DM3)  40 MASSA VOLÚMICA (G/CM3)  1.0274 Enólogo:  Dirk Niepoort
Porto Quinta do infantado Reserva BIO
Nome:  Porto Quinta do infantado Reserva BIO Região: Douro Sub-Região: Gontelho, Cima Corgo Vinhas: Vale de Moinhos, Serra de Cotas,Serra Douro Altitude da Vinha: 200 a 350 metros Castas: Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional, entre outras genuínas da Região Demarcada. Do cultivo em Agricultura Biológica de três vinhas, de terroir único de Gontelho, resulta este  Porto Reserva. Vinificação: Fermentação sem desengace, em lagar, pisa a pé. Paragem da fermentação, a tradição da Quinta do Infantado desde 1816 quando foi criada Teor alcoólico: 19.50 % vol. Sugestões: Com queijos ,sobremesas de chocolate ou no fim da refeição. Como Servir: Decante e aprecie por volta dos 17ºC Viticultura: José Carlos Oliveira e João Roseira Teor Alcoólico:  20% Vol.
Vinha D’Evideira Tinto Bio-Nature
Nome:  Vinha D´Ervideira Bio-Nature Classe:  Vinho Tinto Região:  Alentejo Designação:  D.O.C – Alentejo Castas:  Trincadeira, Aragonêz e Cabernet Sauvignon Vinificação:  As uvas são transportadas a temperaturas muito baixas para preservar a sua qualidade, já na adega, as uvas entram em cubas de fermentação, mantendo a temperatura a 8º para fazer maceração pré-fermentativa. A temperatura sobe suavemente, para fazer uma fermentação longa e cuidada, para preservar os aromas da natureza. Envelhecimento: Estágio de 6 meses, em barricas de carvalho Francês e Americano. Longevidade: 6 a 8 anos. Nota de Prova:  Uma verdadeira homenagem á natureza. Com uma intervenção humana mínima. Aromaticamente fino, exuberante, sedutor onde se destacam as amoras, groselhas e ameixas. Na boca tem volume, estrutura, intensidade e termina com uma boa persistência. Como Servir:  Entre 16 e 18º C. Teor Alcoólico: 14% Vol. Enólogo:  Nelson Rolo
Quinta do Infantado Tinto (Biológico)
Nome:  Quinta do Infantado Classe:  Vinho Tinto (Bio) Região: Douro Sub-Região: Gontelho, Cima Corgo Designação:  D.O.C. Douro Vinhas:  Pousado Área da vinha:  2 ha Tipo de Solo:  Xistoso Altitude da Vinha:  250 metros Agricultura:  Vinha cultivada em modo de produção agricultura biológica desde a plantação em 1998. Rótulo verde:  (bio modo de produção agricultura biológica certificado por Sativa PT Bio-03) Castas:  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz Vinificação:  Fermentação em lagar com desengace parcial e pisa a pé, tradição na quinta desde 1816. FML em cuba. Estágio:  10 meses em cuba e 12 meses em barricas de carvalho francês de diversas idades e origens. Curva de Envelhecimento:  Pelas características organolépticas prevê-se uma maturação na garrafa positiva durante 3-10 anos. Teor Alcoólico:  12.5% Vol. Como Servir:  Decante 2 horas antes e sirva por volta dos 17-18ºC Viticultura: José Carlos Oliveira e João Roseira Enólogo:  Luís Soares Duarte e Fátima Ribas
Vertente Bee Niepoort
Nome:  Vertente Bee  Niepoort Classe:  Vinho Tinto Região:  Douro Classificação:  D.O.C. Douro Castas:  Touriga Franca, Tinta Amarela, Rufete e outras. Vinhas: Quinta de Nápoles e Vinha do Pinhão Idade das Cepas:  35 – 80 Anos Fermentação:  As condições climáticas do ano vitícola 2015 foram favoráveis, com sol, calor e pouca humidade, permitindo um crescimento vegetativo homogéneo. Uma das particularidades deste ano vitícola foi a capacidade da vinha em manter-se hidratada durante a maturação. Em finais de Agosto, início de Setembro, as folhas basais mantinham-se verdes e húmidas, com os bagos hidratados e uma película grossa e firme. O equilíbrio dos mostos, a suavidade dos taninos e a intensidade de cor indicam que estamos perante um ano excepcional para Vinhos Doc. Douro. A vindima começou no mês de Agosto, perlongando-se até final de Setembro. Após uma selecção na vinha, foi efectuada uma segunda selecção na mesa de escolha., O Vertente 2015 foi vinificado em cubas de inox troncocónicas. O vinho estagiou durante 22 meses em barricas de carvalho francês onde ocorreu a fermentação maloláctica Notas de Prova:  Bonita cor violeta de boa concentração. Aroma expressivo, ainda que jovem, com um perfil marcado de notas minerais, boas notas de chocolate preto e de fruto silvestre. A madeira mostra-se bem casada com algumas notas fumadas e de especiarias. Tenso, profundo e com boa estrutura, é fino e elegante na boca. Taninos muito bem integrados, com acidez equilibrada, e o final de boca longo com garra. Num ano como 2015, é fantástico o equilíbrio entre a fruta e a acidez, entre o bom volume de boca e a elegância dos taninos. Um grande ano para o Vertente. Irá evoluir bem em cave. Estágio:  18 meses em barricas de carvalho Francês Sugestões Gastronómicas:  Carnes brancas (peru, frango). Grelhados. Peixes gordos (salmão, garoupa). Sugestões vegetarianas: massas e quiches. Como Servir:  Entre 16º e 18 Teor Alcoólico:  12.2% Vol. Análise Físico-Química Acidez residual  G/DM3 )  0.6 PH  3.57 Acidez Total ( G/DM3 ) 5.1 Acidez volátil ( G/DM3 ) 0,6 SO2 Livre de Enchimento ( MG/DM3 ) 40 SO2  Total ( MG/DM3): 119 Enólogo:  Dirk Niepoort
Bioma Tinto Niepoort
Nome:  BIOMA Classe:  Vinho Tinto Região:  Douro Designação:  D.O.C. Douro Castas:  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Amarela, Tinta Roriz. e Sousão. Vinificação:  A vindima de 2013 começou no dia 19 de Agosto, mais cedo do que o habitual, de forma a manter os níveis altos de acidez e evitar graus alcoólicos elevados. O ano foi mais produtivo, cerca de 25%, relativamente ao ano anterior. A decisão de começar a vindimar mais cedo, acabou por se revelar acertada, uma vez que as principais vinhas tinham sido vindimadas antes de começar a chover intensamente a 27 de Setembro. A fermentação decorreu em cubas inox troncocónicas com um total de 25 dias de maceração, tendo-se utilizado 20% de engaço. O vinho envelheceu durante 12 meses num tonel de 5000 litros. O Bioma 2013 não foi colado nem filtrado Notas de Prova:  Com uma cor rubi carregada, o Bioma mostra um aroma extremamente vinoso e expressivo. Muita fruta fresca, notas de amoras silvestres, ameixas pretas e ligeiro toque floral compõem um aroma muito franco e jovem. Na boca, a juventude e a pureza da fruta são evidentes, com um bom equilíbrio. Compacto, austero, tem um bom volume de boca, com acidez firme. É um vinho que pede que seja apreciado à mesa, com pratos com alguma estrutura. O facto de estagiar em tonel garante pureza e precisão no seu carácter frutado. Final longo, mineral e muito persistente. Sugestões Gastronómicas:  Gastronomia tradicional tal como: Feijoada à transmontana, Lampreia à Bordalesa, Cabrito assado no Forno. Rojões à Moda do Minho. Sugestões vegetarianas:  Pratos à base de lentilhas ou beterraba. Como Servir:  Entre 16º e 18 Análise Físico-Química Extracto seco – 25 Acidez residual  G/DM3 )  0.6 PH  3.68 Acidez Total ( G/DM3 ) 4.5 Acidez volátil ( G/DM3 ) 0,6 SO2 Livre de Enchimento ( MG/DM3 ) 24 SO2  Total ( MG/DM3): 58 Teor Alcoólico:  13.5% Vol. Enólogo:  Dirk Niepoort