Vinha D`Ervideira Vindima Tardia
Nome:  Vinha D´Ervideira Vindima Tardia Classe:  Vinho Branco Região:  Alentejo Designação:  D.O.C – Alentejo Castas:  Antão Vaz Vinificação:  A partir de um talhão de Antão Vaz seleccionaram-se as melhores uvas, que permaneceram na vinha até Novembro. Desta forma, permitiu-se o desenvolvimento da podridão nestes bagos, aumentando a concentração e açúcares. A fermentação é posteriormente feita em baixas temperaturas, rodando os 12ºC, durante cerca de 30 dias. Envelhecimento:  Estágio prolongado, cerca de 1 ano, em barricas de carvalho húngaro. Nota de Prova:  Vinho de aroma intenso a figos, frutos secos, marmelada e mel. Na boca revela uma doçura agradável e um interessante volume e elegância, terminando longo e com uma equilibrada e vibrante acidez. Sugestões Gastronómicas:  podendo ser servido como aperitivo e entrada, acompanhando canapés, ou então com sobremesas de alguma acidez, por exemplo torta de laranja ou ainda após a refeição, sozinho ou acompanhando frutos secos. Como Servir:  Entre 7 e 9º C. Teor Alcoólico:  13.5% Vol. Enólogo / Winemaker:  Nelson Rolo
Vinha D’Evideira Tinto Bio-Nature
Nome:  Vinha D´Ervideira Bio-Nature Classe:  Vinho Tinto Região:  Alentejo Designação:  D.O.C – Alentejo Castas:  Trincadeira, Aragonêz e Cabernet Sauvignon Vinificação:  As uvas são transportadas a temperaturas muito baixas para preservar a sua qualidade, já na adega, as uvas entram em cubas de fermentação, mantendo a temperatura a 8º para fazer maceração pré-fermentativa. A temperatura sobe suavemente, para fazer uma fermentação longa e cuidada, para preservar os aromas da natureza. Envelhecimento: Estágio de 6 meses, em barricas de carvalho Francês e Americano. Longevidade: 6 a 8 anos. Nota de Prova:  Uma verdadeira homenagem á natureza. Com uma intervenção humana mínima. Aromaticamente fino, exuberante, sedutor onde se destacam as amoras, groselhas e ameixas. Na boca tem volume, estrutura, intensidade e termina com uma boa persistência. Como Servir:  Entre 16 e 18º C. Teor Alcoólico: 14% Vol. Enólogo:  Nelson Rolo
Conde D’Ervideira Reserva Tinto
Nome: Conde D´Ervideira Reserva Classe: Vinho Tinto Região: Alentejo Designação: D.O.C – Alentejo Castas: Trincadeira, Aragonêz, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon Vinificação: Selecção dos melhores lotes de uvas, vinificados casta por casta. O Aragonêz fermenta em “vinimatics”, enquanto que as restantes castas fermentam em lagares equipados com robot de pisa mecânica. O processo decorre a uma temperatura controlada de 25ºC. Envelhecimento: Estágio de 8 meses em barricas novas, maioritariamente, de carvalho Francês. O blend é depois engarrafado, permanecendo em cave durante o período mínimo de um ano. Longevidade: 6 a 8 anos. Prova: Apresenta aromas de compotas de frutos vermelhos, complexados pela madeira. É aveludado, apresentando uma excelente estrutura e suaves taninos. Como Servir: Entre 16 e 18º C. Sugestões Gastronómicas: Com rosbife de carne mertolenga e molho de mostarda. Teor Alcoólico: 13.5% Vol. Enólogo: Nelson Rolo
Conde D´Ervideira Privat Selection
Nome:  Conde D´Ervideira Privat Selection Classe:  Vinho Tinto Região:  Alentejo Designação:  D.O.C – Alentejo Castas:  Trincadeira, Aragonêz, Alicante Bouschet. Vinificação:  Selecção dos melhores lotes de uvas, vinificados casta por casta. O Aragonêz fermenta em “vinimatics”, enquanto que as restantes castas fermentam em lagares equipados com robot de pisa mecânica. O processo decorre a uma temperatura controlada de 25ºC. Envelhecimento:  Estágio de 8 meses em barricas novas, maioritariamente, de carvalho Francês. O blend é depois engarrafado, permanecendo em cave durante o período mínimo de um ano. Longevidade:  6 a 8 anos. Nota de Prova:  Apresenta aromas de compotas de frutos vermelhos, complexados pela madeira. É aveludado, apresentando uma excelente estrutura e suaves taninos. Como Servir:  Entre 16 e 18º C. Sugestões Gastronómicas:  Com rosbife de carne mertolenga e molho de mostarda. Teor Alcoólico:  13.0% Vol. Enólogo:  Nelson Rolo
Conde D’Ervideira Branco
Nome: Conde D´Ervideira Reserva Classe: Vinho Branco Região: Alentejo Designação: D.O.C – Alentejo Castas: Antão Vaz. Vinificação: As uvas são desengaçadas, não esmagadas, e enviadas para “vinimatics”, onde permanecem durante 6 a 10 horas, a uma temperatura controlada que não ultrapassa os 12ºC. depois são prensadas e enviadas para a câmara frigorífica, onde fermentam a temperatura controlada entre 13 e 15ºC. Envelhecimento: O mosto é acondicionado em barricas novas de carvalho Húngaro, ao qual se segue um período de 6 meses de “botonnage”. Longevidade: Até 4 anos. Nota de Prova: Apresenta aromas de frutos tropicais, especiarias e baunilha. É aveludado e untuoso, possuindo uma acidez equilibrada e taninos suaves e sedosos. Como Servir: Entre 7 e 9º C, Sugestões Gastronómicas: Com pratos de peixe fumados e escabeche de perdiz. Como Servir: Entre 6 e 8º C. Teor Alcoólico: 13.0% Vol. Enólogo: Nelson Rolo
Conde D´Ervideira Vinho da Água
Nome:  Conde D´Ervideira Vinho da Água Classe:  Vinho Tinto Região:  Alentejo Designação:  D.O.C – Alentejo Castas:  Touriga Nacional, Aragonez, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon Vindima Mecânica e nocturna. Vinificação:  Foi elaborada a partir de um blend das castas Touriga Nacional, Aragonez, Alicante Bouschet e Cabernet  Sauvignon, escolhidas criteriosamente para elaborar um vinho único, exclusivo e apaixonante Estágio:  Ganhou complexidade, volume e persistência ao ser estagiado em barricas de carvalho Francês. Após o estágio nas barricas foi engarrafado e submergido nas calmas e tranquilas águas do grande lago Alqueva, junto à baía da Amieira Marina, onde maturou a 30m de profundidade, em condições verdadeiramente únicas  e de excelência, ao longo de 8 meses. Longevidade:  6 a 8 anos. Nota de Prova:  Um vinho de características únicas, com uma grande exuberância aromática, taninos firmes mas doceis, capaz de impressionar e apaixonar os que tiverem o prazer de “descobrir” este TESOURO. Como Servir:  Entre 16 e 18º C. Sugestões Gastronómicas:  Com rosbife de carne mertolenga e molho de mostarda. Teor Alcoólico:  13.5% Vol. Enólogo:  Nelson Rolo  
CONDE D’ ERVIDEIRA 2 BARRICAS
Nome:  Conde D´Ervideira 2 Barricas Classe:  Vinho Tinto Região:  Alentejo Designação:  D.O.C – Alentejo Castas:  Lote de Castas Autóctones. Este vinho apenas é produzido em anos verdadeiramente excepcionais. É um vinho de coleção, pois a enologia apenas o produz a partir das duas melhores barricas que se destacam pela sua excelência notória. Apenas são produzidas 300 garrafas para todo o mundo e é engarrafado apenas em garrafas magnum, pois é a garrafa que melhor dá evolução ao vinho. Por último cada ano em que for produzido será engarrafado e guardado numa caixa numerada de acordo com a garrafa, uma verdadeira obra de arte. É por isso um vinho de excelência e raro, apenas disponível para alguns apreciadores e coleccionadores. Vinificação:  Vindima manual, de talhões previamente seleccionadas, das vinhas mais a sul da propriedade. Vinhas com mais maturidade, idade e produções baixas.  Fermentação: alcoólica em lagares de fermentação e barricas de carvalho francês. Estágio prolongado por um mínimo 24 meses em barricas novas posterior estágio em garrafa. Longevidade:  10  anos. Como Servir:  Entre 16 e 18º C. Teor Alcoólico:  % Vol. Enólogo:  Nelson Rolo
Conde D`Ervideira Escolha do Enólogo Branco de Inverno
Nome:  Conde D´Ervideira Branco Inverno Classe:  Vinho Branco Região:  Alentejo Designação:  D.O.C – Alentejo Castas:  Antão Vaz e Viosinho. A vindima:  Mecânica e Nocturna Vinificação: Vindima nocturna, sob a luminosidade, brilho e companhia da lua. Fermentação em barricas, sob um controle de temperatura. O vinho é depois submetido a um processo de battonage. Estágio: 6 Meses Barricas Carvalho Húngaro Longevidade:  5 anos Nota de Prova:  Aromaticamente intenso, este branco remete-nos de imediato para a expressão tropical do Antão Vaz, ananás, manga e alperce. Em prova o Viosinho impera, trazendo até nós a expressão “Inverno”, onde a acidez e mineralidade, a frescura transmitem vida ao conjunto. Este Branco de Inverno é estagiado nas barricas de carvalho Húngaro por um período de 6 meses, onde adquire estrutura, volume e elegância, fazendo deste vinho, um vinho com uma enorme aptidão gastronómica. Sugestões Gastronómicas:  Com pratos de peixe cozido ou grelhado e marisco. Como Servir:  Entre 10 e 12º C. Teor Alcoólico:  13.0% Vol. Enólogo:  Nelson Rolo