Espumante Vinha D´Ervideira Bruto ( White Sparkling )
Nome: Vinha D´Ervideira Bruto Região: Alentejo Designação: D.O.C Alentejo Castas: Perrum e Antão Vaz. Vinificação: O Vinho, base do espumante, é vinificado casta a casta decorrendo a fermentação alcoólica em depósitos de inox, com temperatura controlada. A segunda fermentação dá-se na garrafa, onde permanece cerca de 6 meses até ao «degorgement». Longevidade: 2 a 3 anos. Nota de Prova: Espumante produzido em regiões de clima quente, apresenta notas de fruta tropical, complexas pelo contacto com levedura. Na boca é macio, persistente, apresentado uma bolha fina que desaparece de forma suave. Sugestões Gastronómicas: Com peixe grelhado ou como aperitivo. Como Servir: Entre 6 e 8º C. Teor Alcoólico: 12.0% Vol. Enólogo: Nelson Rolo
Espumante Conde D´Ervideira Reserva Bruto
Nome:  Conde Ervideira Reserva Bruto Região:  Alentejo Designação:  D.O.C Alentejo Castas:  Aragonês, Alfrocheiro, Touriga Nacional. Vinificação:  Castas vinificadas separadamente, conduzidas para depósitos rotativos de fermentação “vinimatic”, onde permanecem 4 horas, em baixa rotação, obtendo-se uma suave extracção de cor. Após este período decorre a fermentação alcoólica em depósitos de inox. A segunda fermentação dá-se na garrafa, onde permanece cerca de 12 messes até ao  «degorgement». Longevidade:  2  anos. Prova:  Com o potencial aromático do Aragonês e Alfrocheiro, este espumante apresenta um aroma rico em ameixas e a cerejas frescas, com um agradável toque mineral. Na boca é equilibrado e com bolha fina, com uma excelente acidez. Formando um conjunto elegante e persistente com um perfume a Alentejo Como Servir:  Entre 7 e 9º C. Enólogo: Nelson Rolo Prémios:  Encontro do Vinho 2011 Revista dos Vinhos 2011       16 Valores Revista dos  Vinhos 2009      16 Valores
Conde Ervideira Espumante Da Água
Nome:  Conde Ervideira espumante Da Água Região:  Alentejo Designação:  DOC Alentejo Castas:  Arinto, Antão Vaz, Gouveio e Alvarinho. Vinificação: O Vinho, base do espumante, é vinificado casta a casta, decorrendo a fermentação alcoólica em depósitos de inox, com temperatura controlada. A segunda fermentação ocorre no fundo do grande lago do alqueva a 30m de profundidade com temperatura constante e ausência total de luz durante 9 meses Longevidade:  2 a 3 anos. Prova:  Elaborado a partir de 4 castas, que festejam as 4 gerações Ervideira, estagiou durante 9 meses em garrafa, no fundo do maior lago da Europa, o Alqueva. Resulta um Espumante de cor citrina, libertando um aroma fresco e fino. Na boca revela uma bolha fina, persistente e muito elegante. Como Servir:  Entre 7 e 9º C. Enólogo: Nelson Rolo
Espumante Monte das Bagas de Ouro Adega do Montado
Nome: Espumante Monte das Bagas de Ouro Classe:  Espumante Região:  Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas: Arinto Nota de Prova:  Este primeiro Espumante Monte das Bagas resulta da vontade de criar um vinho único, com todo o rigor e exigência do método clássico. A partir da casta Arinto apresenta-se com uma cor citrina, libertando aromas florais intensos, mesclados com um ligeiro toque de panificação e expressões vegetais que nos desafiam. Um perfil ousado com Perlage intenso, irrequieto, de pequeníssimas bolhas, proporcionando em prova sensações selénicas de acidez vibrante, uma mousse equilibrada e cremosa, que nos apaixona, persiste e nos toca na alma. Como Servir:  Entre 6 e 8º C Teor Alcoólico:  11,5% Vol. Acidez Total: 4,2 g/L Enólogo:  Enólogo/Winemaker | Nelson Rolo / Paulo Maurício
Espumante Couteiro-Mor Bruto Natural
Nome:  Espumante Couteiro-Mor Bruto Natural Classe:  Espumante Método:  Clássico Região:  Alentejo Castas:  Antão Vaz Vinificação:  A forma a obter-se uma suave extracção de cor. Após este período decorre a fermentação alcoólica em depósitos de inox, com temperatura controlada. A segunda fermentação dá-se na garrafa, onde permanece cerca de 12 meses até ao «degorgement». Prova:  Com o potencial aromático Espumante apresenta um aroma rico em ameixas e a cerejas frescas, com um agradável toque mineral. Na boca é equilibrado e com bolha fina, com uma excelente acidez. Formando um conjunto elegante e persistente com um perfume a Alentejo. Como Servir:  Entre 7 e 9º C, com mariscos e peixe Grau Alcoólico:  12% Vol. Enólogos:  Anselmo Mendes & Diogo Lopes
Espumante Muros Antigos Alvarelhão
Nome:  Muros Antigos Alvarelhão Região:  Vinho Verde  DOC Método:  Clássico Castas: Alvarelhão Tipo de  Vinho:  Muros Antigos Alvarelhão é um vinho espumante blanc de noir obtido a partir da casta Alvarelhão.  Esta casta é uma das castas Tintas mais antigas de Portugal que se revela em excelência na sub-região de Monção/Melgaço sendo a casta tinta de eleição. São seleccionadas as melhores parcelas destas casta e a casta e a vindima destas parcelas. Vinificação:  As uvas São Prensadas inteiras para obtenção de um mostro de grande qualidade o mostro de grande qualidade. O mostro lágrima é arrefecido e decantado a baixas temperaturas durante 48 horas. Segue-se um período de estágio sobre as borras de 5 anos por forma a obter uma total autólise das leveduras . O processo de espumantização seguiu o método tradicional de fermentação em garrafa e estágio de 12 meses. Nota de Prova: Cor:  Dourada pálida. Aroma. Finos a mel, marmelo e biscoito ainda envolto em alguma fruta vermelha  Acidez vincada e fresca com uma bolha fina e delicada.  Mousse cremosa e adocicada. Final persistente onde sobressaem sabores a biscoito e fruta. Como Servir:  Entre 8º e 9ºC Teor Alcoólico:  12,5% Vol. Análise Físico-Química Acidez total g/l:  6,02 ph: 3,21 Enólogo:  Anselmo Mendes
Espumante Milénio
Nome:  Espumante Milénio Reserva Bruto Região:  DÃO Designação:  DOC  Dão Método:  Clássico Castas:  Malvasia Fina Vinificação: Com fermentação em garrafa ente 14 e 15ºC. O dégorgement fez-se ao fim de 24 meses. Estágio:  Em garrafa Nota de Prova:  Amarelo citrino, bolha fina e persistente, aroma delicado. Na boca surpreende pela frescura da acidez e leveza. Maturação e Envelhecimento:  Para beber já ou, idealmente, nos próximos cinco anos. Sugestões Gastronómicas:  Ideal para acompanhar a refeição do principio ao fim ou para celebrar os bons momentos da vida. Como Servir:  Entre 6 e 8ºC Teor Alcoólico:  12,5% Vol. Parâmetros Analíticos Acidez Total:  6.8 g/L Acidez Volátil:  0,20 g/L ph:  3,2 Açucares redutores: 4 g/L Enólogo:  Cristina Machado
Espumante Côto de Mamoelas Alvarinho

Nome : Espumante Côto de Mamoelas Bruto Reserva

Região: Vinhos Verdes - Sub-Região Monção e Melgaço

Classe: Alvarinho Espumante de Vinho Verde

Castas: 100% Alvarinho

Método: Clássico

Classificação: D.O.C. Sub-Região de Monção e Melgaço

Vinificação: As uvas são prensadas inteiras para dar origem ao Espumante Vinho Verde Alvarinho. O mosto é clarificado a 12º C durante 48H.

Fermentação: Fermentado a temperatura controlada durante 12 a 15 dias. Segue-se o engarrafamento, fermentação e estágio de 12 meses, findo o qual se realiza a remuage e o degorgement.

Nota de Prova: bolha fina e persistente, aroma com presença da casta, mineral, com algum tostado bolacha e complexidade, devido ao estágio em garrafa. Encorpado, seco (bruto natural), boa acidez e final e final a fruta onde é persistente a casta.

Sugestões gastronómicas: Como aperitivo ou acompanhamento de carnes assadas e grelhadas, particularmente carne de aves, cabrito, borrego e leitão.

Como Servir: Numa flute á temperatura de 6 e 8

Álcool: 13% Vol.

Enólogo: Abel Codesso

Espumante Água Viva Niepoort
Nome:  Água Viva Região:  Bairrada  DOC Método:  Clássico Castas: BAGA Vinificação:  Após uma prensagem muito delicada das uvas, aproveitando-se apenas ao primeiro mosto obtido, este fermentou durante 15 dias em cubas de aço inoxidável a temperatura controlada. A elaboração, seguindo o método clássico, iniciou-se em Abril de 2014 com a tiragem, tendo a refermentação decorrido em cave durante 23 dias a 15 ºC, ao que se seguiu um período de estágio em garrafa, sobre borras, de 9 meses, para o primeiro lote degorjado, em Fevereiro de 2015 Nota de Prova: Cor Olho-de-perdiz muitíssimo pálida. Aroma. Intenso, com notas de frutos vermelhos frescos, como framboesa e groselha, bem como ligeira tosta. Sabor.  Na boca é muito fresco, seco e longo. Confirmam-se as sensações aromáticas percecionadas pela olfacção directa. Sugestões Gastronómicas:  . Canapés, peixes, carnes brancas ou vermelhas magras. Como Servir:  Entre 8º e 9ºC Teor Alcoólico:  12,0% Vol. Análise Físico-Química Sobrepressão (bar): 5,9 Acidez volátil ( g acético/l ) 0,31 Acidez total ( g tartárico/l ) ,6,56 ph: 3,10 Extracto seco total ( g/l ): 21,1 Açucares totais ( g/l ): 2,6 SO2  Total ( mg/l ): 96 Enólogo:  Dirk Niepoort
Espumante Terras do Demo Branco Bruto
Nome:  Espumante Terras do Demo Branco Bruto Região:  Távora-Varosa Designação:  VEQPRD. Távora - Varosa Método:  Clássico Castas:  Malvasia Fina Vinificação:  Sistema de "Bica Aberta" com decantação e Fermentação a baixas temperaturas e controladas. Estágio:  Em garrafa Nota de Prova: Aspecto:  Límpido Bolha:  fina e persistente. Cor: Citrina com tons dourados. Aroma:  Intenso, com notas florais e um toque de frutos tropicais. Paladar:  Acidez vibrante, que lhe confere frescura, contribuindo para um final de boca persistente. Maturação e Envelhecimento:  Com um ciclo de produção de 12 meses, dos quais 9 com fermentação em garrafa a temperaturas baixas e controladas, onde ganha complexidade aromática e gustativa. Sugestões Gastronómicas:  Como Aperitivo, Acompanhamento de Mariscos, Ostras ao Natural, Aves, Carnes Brancas e Leitão á Bairrada. Como Servir:  Entre 7 e 8ºC Teor Alcoólico:  13,0% Vol. Sobrepressão: Bar 6,0 Acidez Total:  g/dm3-6,5 ph:  3,0 Açucares Totais:  <g/dm3-6,5 Enólogo:  Cristina Machado PRÉMIOSMEDALHA DE PRATA - Concurso Nacional Vinhos 2011
Espumante Terras do Demo Tinto Bruto
Nome:  Espumante Terras do Demo Tinto Bruto Região:  Távora-Varosa Designação:  VEQPRD. Távora - Varosa Método:  Clássico Castas:  Touriga Nacional e Touriga Franca Vinificação:  Sistema de "Curtimenta" com decantação e Fermentação a baixas temperaturas e controladas. Estágio:  Em garrafa Nota de Prova: Aspecto:  límpido. Bolha:  Fina e persistente. Cor:  Retinta com tons violáceos. Aroma:  Intenso, com toque floral lembrando a rosa e frutado de amora. Paladar:  Fruta e acidez bem equilibradas no palato, resultando um conjunto sensual e requintado. Maturação e Envelhecimento:  Com um ciclo de produção de 12 meses, dos quais 9 com fermentação em garrafa a temperaturas baixas e controladas, onde ganha complexidade aromática e gustativa. Sugestões Gastronómicas:  Acompanhamento de  cozinha tradicional de apuramento tempero, sardinha assada, arroz de lampreia e leitão. Como Servir:  Entre 7 e 8ºC Teor Alcoólico:  12,0% Vol. Sobrepressão: Bar 5,0 Acidez Total:  g/dm3-5,2 ph:  3,7 Açucares Totais:  <g/dm3-6,0 Enólogo:  Cristina Machado
Espumante Terras do Demo Rosé Bruto
Nome:  Espumante Terras do Demo Rosé Bruto Região:  Távora - Varosa Designação:  VEQPRD Távora - Varosa Método:  Clássico Castas:  Touriga Nacional Vinificação:  Sistema de "Bica Aberta" com decantação e Fermentação a baixas temperaturas e controladas. Fermentação em garrafas a baixas  temperaturas, remuage manual e dégorgement por acção do frio. Estágio:  Em garrafa Nota de Prova Aspecto:  Límpido. Bolha:  Fina e persistente. Cor:  Olho de perdiz. Aroma:  Notas frutadas lembrando morangos e framboesa. Paladar:  Fruta e acidez bem equilibradas no palato, resultando um conjunto sensual e requintado. Maturação e Envelhecimento:  Com um ciclo de produção de 12 meses, dos quais 9 com fermentação em garrafa a temperaturas baixas e controladas, onde ganha complexidade aromática e gustativa. Sugestões Gastronómicas:  Acompanhamento de Mariscos, peixes, carnes brancas e de caça. Como Servir:  Entre 7 e 8ºC Teor Alcoólico:  12,0% Vol. Sobrepressão: Bar 6,0 Acidez Total:  g/dm3-6,5 ph:  3,0 Açucares Totais:  <g/dm3-6,5 Enólogo:  Cristina Machado