Porto Niepoort Vintage 1978 1,5 Litro
Nome:  Porto Niepoort Vintage 1978 Região:  Douro Idade das Cepas:  70 anos Vinha:  Da Pisca, Vale do Pinhão e Ferrão Castas:  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Cão, Tinta Amarela,  Tinta Francisca,  Sousão. A magia de um Porto Vintage é diferente em todas as suas fases: enquanto vinho jovem, mostra as suas características jovens e frutadas, ao fim de 20 anos os efeitos do lento envelhecimento em garrafa revelam-se e finalmente, depois de muitas décadas, o espírito domina o vinho. O Porto Vintage é fantástico em todas as três fases. A maturação na garrafa é mais redutora do que o envelhecimento nos cascos e o vinho resultante é mais frutado e poderoso, desenvolvendo-se na tradicional garrafa escura. O vinho deve ser decantado e servido no final da refeição com queijo, especialmente queijos azuis, com os quais combina muitíssimo bem Vinificação:  Após um longo e frio Inverno, uma Primavera relativamente fresca e um Verão antecipado, foi só no mês de Setembro que o tempo aqueceu, tendo amadurecido a fruta. A vindima fez-se um pouco mais tarde que o habitual, com alguns vinhos encorpados e poderosos produzidos nos lagares de granito, com pisa a pé. Estagio Depois de 2 anos de envelhecimento nos grandes cascos de carvalho nas caves em Vila Nova de Gaia, o vinho foi engarrafado Notas de Prova:  Cor vermelha, muito viva. No aroma, o vinho é inicialmente fechado, austero, mas com o tempo e ligeiro contacto com o oxigénio, notam-se os aromas de especiarias e pimenta. Fruta madura e grande frescura revelam-se no palato, onde o vinho ainda mostra uma estrutura firme e longa Sugestões de Acompanhamento: Perfeito com Queijo da Serra, Stilton ou outros queijos azuis. Sobremesas com doces de ovos, tal como pão de ló. Teor Alcoólico:  20.5% Vol. Análise Físico-Química Açúcar Residual  G/DM3 )  97.25 Baumé- 3.2 Acidez Total ( G/DM3 ) 4.13
Porto Niepoort Vintage 1980 1,5 Litro
Nome:  Porto Niepoort Vintage 1980 Região:  Douro Idade das Cepas:  70 anos Vinha:  Da Pisca, Vale do Pinhão e Ferrão Castas:  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Cão, Tinta Amarela,  Tinta Francisca,  Sousão. A magia de um Porto Vintage é diferente em todas as suas fases: enquanto vinho jovem, mostra as suas características jovens e frutadas, ao fim de 20 anos os efeitos do lento envelhecimento em garrafa revelam-se e finalmente, depois de muitas décadas, o espírito domina o vinho. O Porto Vintage é fantástico em todas as três fases. A maturação na garrafa é mais redutora do que o envelhecimento nos cascos e o vinho resultante é mais frutado e poderoso, desenvolvendo-se na tradicional garrafa escura. O vinho deve ser decantado e servido no final da refeição com queijo, especialmente queijos azuis, com os quais combina muitíssimo bem Vinificação:  Após um longo e frio Inverno, uma Primavera relativamente fresca e um Verão antecipado, foi só no mês de Setembro que o tempo aqueceu, tendo amadurecido a fruta. A vindima fez-se um pouco mais tarde que o habitual, com alguns vinhos encorpados e poderosos produzidos nos lagares de granito, com pisa a pé. Estagio Depois de 2 anos de envelhecimento nos grandes cascos de carvalho nas caves em Vila Nova de Gaia, o vinho foi engarrafado Notas de Prova:  Cor vermelha, muito viva. No aroma, o vinho é inicialmente fechado, austero, mas com o tempo e ligeiro contacto com o oxigénio, notam-se os aromas de especiarias e pimenta. Fruta madura e grande frescura revelam-se no palato, onde o vinho ainda mostra uma estrutura firme e longa Sugestões de Acompanhamento: Perfeito com Queijo da Serra, Stilton ou outros queijos azuis. Sobremesas com doces de ovos, tal como pão de ló. Teor Alcoólico:  20.5% Vol. Análise Físico-Química Açúcar Residual  G/DM3 )  97.25 Baumé- 3.2 Acidez Total ( G/DM3 ) 4.13
Quinta da Boa Esperança Branco Reserva 1,5 Litro
Nome:  Quinta da Boa Esperança Reserva Classe:  Vinho Banco Região:  Lisboa Designação: Vinho Regional Lisboa Castas:  Arinto (60%), Fernão Pires (40%) Nas Terras argilo-calcárias da Zibreira a Quinta da Boa Esperança é temperada pela influência marítima e beneficia de uma exposição solar de excelência. Em sintonia com a Natureza e com os antigos saberes, criamos um vinho genuíno que nos transporta a uma experiência única. Vindima:  100% manual para caixas de 15 kg Vinificação:  Desengace total e fermentação em barrica nova de carvalho francês, de grão extra fino, com “  “ batônnage ” durante 50 dias e posterior estágio durante 6 meses. Nota de Prova: De cor citrina, aroma fino e delicado, muito complexo. Na boca é  fresco, estrutura, intenso, com final longo. Como Servir:  Servir a uma temperatura de 8ºC. Dados Analíticos: pH:  3,28 Acidez Total: 6.1 g/L Teor Alcoólico:  13.5% Vol. Enólogo:  Paula Fernandes
Quinta da Boa Esperança Syrah 1,5 L
Nome:  Quinta da Boa Esperança Classe:  Vinho Tinto Região:  Lisboa Designação: Vinho Regional Lisboa Castas: Syrah 100% Nas Terras argilo-calcárias da Zibreira a Quinta da Boa Esperança é temperada pela influência marítima e beneficia de uma exposição solar de excelência. Em sintonia com a Natureza e com os antigos saberes, criamos um vinho genuíno que nos transporta a uma experiência única. Vindima:  100% manual para caixas de 15 kg Vinificação:  Desengace total, seguido de maceração pré-fermentativa a 8ºC durante 48 horas Fermentação:  Com temperatura controlada de 24 graus. Nota de Prova:  Vinho de cor granada intensa, onde dominam os aromas de fruta preta e especiarias, típicos da casta. Fresco e intenso na boca, com taninos firmes que lhe conferem um final longo. Como Servir:  Servir a uma temperatura de 16ºC. Dados Analíticos: pH:  3,4 Acidez Total: 5.9 g/L Teor Alcoólico:  14%  Vol. Enólogo:  Paula Fernandes
Quinta da Boa Esperança Alicante Bouschet 1,5 L
Nome:  Quinta da Boa Esperança Classe:  Vinho Tinto Região:  Lisboa Designação: Vinho Regional Lisboa Castas: Alicante Bouschet 100% Nas Terras argilo-calcárias da Zibreira a Quinta da Boa Esperança é temperada pela influência marítima e beneficia de uma exposição solar de excelência. Em sintonia com a Natureza e com os antigos saberes, criamos um vinho genuíno que nos transporta a uma experiência única. Vindima:  100% manual para caixas de 15 kg Vinificação:  Desengace total, seguido de maceração pré-fermentativa a 8ºC durante 48 horas Fermentação:  Com temperatura controlada de 24 graus. Nota de Prova:  Vinho de cor granada intensa, quase opaca, no qual predominam as notas de fruta preta com nuances balsâmicas. Na boca apresenta-se vibrante e volumoso. Como Servir:  Servir a uma temperatura de 16ºC. Dados Analíticos: pH:  3,51 Acidez Total: 6.0 g/L Teor Alcoólico:  14%  Vol. Enólogo:  Paula Fernandes
Quinta da Boa Esperança Touriga Nacional Tinto 1,5 Litro
Nome:  Quinta da Boa Esperança Classe:  Vinho Tinto Região:  Lisboa Designação: Vinho Regional Lisboa Castas: Touriga Nacional 100% Nas Terras argilo-calcárias da Zibreira a Quinta da Boa Esperança é temperada pela influência marítima e beneficia de uma exposição solar de excelência. Em sintonia com a Natureza e com os antigos saberes, criamos um vinho genuíno que nos transporta a uma experiência única. Vindima:  100% manual para caixas de 15 kg Vinificação:  Desengace total, seguido de maceração pré-fermentativa a 8ºC durante 48 horas Fermentação:  Com temperatura controlada de 24 graus. Nota de Prova:  Vinho de cor granada intensa, com nuances cítricas e florais. Vibrante e estruturado no palato, pela sua frescura e riqueza em taninos, que o tornaram longo e harmonioso. Como Servir:  Servir a uma temperatura de 16ºC. Dados Analíticos: pH:  3,56 Acidez Total: 5,5 g/L Teor Alcoólico:  14%  Vol. Enólogo:  Paula Fernandes
Vinha D´Ervideira 1,5 Litro C/Madeira
Nome: Vinha D´Ervideira (Colheita Seleccionada) Classe: Vinho Tinto Região: Alentejo Designação: D.O.C – Alentejo Castas: Trincadeira, Aragonêz, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon Vinificação: As castas são vinificadas separadamente. A Trincadeira, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon fermentam em lagares de inox de pisa mecânica, a uma temperatura controlada de 25ºC. A casta Aragonêz fermenta em depósitos horizontais (vinimatics). Envelhecimento: Estágio de 6 meses, em barricas de carvalho Francês e Americano. Longevidade: 4 a 6 anos. Prova: Vinho de tons granada, com notas de ameixa, frutos silvestres e especiarias no aroma. Na boca é macio, com uma estrutura notória e elegante que persiste no final. Sugestões Gastronómicas: Com um rosbife de mertolengo com molho de mostarda, ou javali estufado. Como Servir: Entre 16 e 18º C. Teor Alcoólico: 13.5% Vol. Enólogo: Nelson Rolo
Dão Rotulo Tinto Niepoort 1,5 Litro
Nome:  Dão Rotulo Tinto Niepoort Classe: Vinho Tinto Região:  Dão Designação:  D.O.C. Dão Castas:  Touriga Nacional, Alfrocheiro e Jaen Idade das Cepas:  Entre os 20 e 50 anos. Fermentação:  Cubas de inox Vinificação:  O vinho envelheceu 22 meses em cubas de cimento. Foi engarrafado sem clarificação nem filtração sendo por isso normal o aparecimento de cristais depois de alguns anos de envelhecimento. Nota de Prova:  Cor rubi boa concentração. O aroma é muito elegante, ligeiramente floral, com notas de fruta silvestre alguns mentolados. M a boca, mostra-se vivo, e com acidez. A fruta fresca e os sabores especiados estão envolvidos num perfil mineral refrescante. Apresenta bom volume na boca, sem ser pesado, oferecendo um final perfumado, longo e muito equilibrado. Sugestões Gastronómicas: Pratos de cozinha tradicional portuguesa, tais como vitela estufada, arroz de pato, bacalhau assado no forno. Enchidos tradicionais. Como Servir:  Entre 16º a 18ºC. Teor Alcoólico: 12.5 % Vol. Análise Físico-Química Extracto seco – 32.8 Acidez residual  G/DM3 )  1 PH  3.79 Acidez Total ( G/DM3 ) 5.49 Acidez volátil ( G/DM3 ) 0,63 SO2 Livre de Enchimento ( MG/DM3 ) 35 SO2  Total ( MG/DM3): 96 Massa Volúmica ( G/CM3 ) 0.9944 Enólogo:  Dirk Niepoort
Dão Porta dos Cavaleiros Reserva Branco 1984 1,5 Litro
Nome:  Dão Porta Cavaleiros Reserva 1984 Classe:  Vinho Branco Região:  Dão Designação:  D.O.C. Dão Castas: Malvasia 45%, Encruzado 35% e Bical 20% Vinificação:  Uvas provenientes de alguns dos melhores terroirs da região do Dão vinificadas de forma cuidada pela tecnologia clássica de fermentação em cuba de aço inoxidável com controlo de temperatura. Temperatura:  Entre 7º a 8ºC. Teor Alcoólico:  12.5% Vol.
Dão Porta dos Cavaleiros Tinto 1970 1,5 L
Nome:  Dão Porta  dos Cavaleiros  Tinto Classe:  Vinho Tinto Região:  Dão Designação:  DOC Dão Fundada em 1920 pelos irmãos José, Manuel e Albano Costa, as Caves São João são uma empresa familiar que, a princípio, se dedicava à comercialização de vinhos finos de Douro e licores. Aquela que é hoje a empresa familiar vinícola mais antiga ainda em actividade no concelho de Anadia, passou, nos anos 30 Vinificação:  Uvas provenientes de um dos melhores terroirs da região do Dão, vinificadas de forma cuidada pela tecnologia clássica de curtimenta. Como Servir:  Entre 16º e 17ºC
Quinta do Infantado Tinto 1,5 L
Nome:  Quinta do Infantado 1,5 L Classe:  Vinho Tinto Região:  Douro Sub-Região:  Gontelho, Cima Corgo Classificação:  D.O.C. Douro Castas:  Vinha Velha (mistura) Touriga Nacional e Franca e Tinta Roriz Vinificação:  Fermentação em lagar com desengace parcial e pisa pé, tradição da quinta desde 1816. FML em cuba. Estágio:  Em cuba inox e barricas de carvalho de diversas origens e idades Notas de prova: Nota de Prova: Aroma vivo, fresco, frutado com nota floral e especiado. Boca ampla, fruta persistente, taninos de boa tensão. Curva de Envelhecimento: Pelas características organolépticas prevê-se uma maturação na garrafa positiva durante 3-10 anos. Sugestões Gastronómicas:  Lombo de Pregado com risoto de azeitonas pretas ou borrego em crosta mediterrânica. Como Servir:  Decantar 2h antes de servir a 17º/18º Teor Alcoólico:  14.0% Vol. Viticultura:  José Carlos Oliveira e João Roseira Enólogo:  Luís Soares Duarte e Fátima Ribas Prémios:  Quinta Infantado recebe 5 Medalhas  no Reino Unido
Pormenor Tinto 1,5 Litro
Nome:  PORMENOR Classe:  Vinho Tinto Região:  Douro Designação:  D.O.C. Douro Vinhas:  Vinhas velhas com idade superior a 50 anos, plantadas em altitude Castas:  Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Rufete Fermentação:  Estágio de 14 meses em barricas usadas de Carvalho Francês Notas de Prova: Sugestões Gastronómicas: Como Servir:  Entre 8 e 10º C: Teor Alcoólico:  12,5% Vol. Ph. Acidez Total:   g /dm3 Acidez Volátil:  g /dm3 Açúcar  Total:  g/dm3 Sulfatos:  g/dm3 Enólogo: Luís Seabra e Pedro Coelho