Alma da Ponte Branco
Nome: Alma da Ponte Classe:  Vinho Branco Região:  Cuba - Alentejo Designação:  Vinho Regional Alentejano Castas:  Antão Vaz, Arinto e Verdelho. A História: A ponte romana da Vila Ruiva, tem como data provável da sua construção, o século I a.C. É uma das mais monumentais pontes romanas existentes em Portugal, com 120 metros de comprimento e com 20 arcos de curvatura muito perfeita. Esta ponte está classificada como Monumento Nacional. Localizada no concelho de Cuba (ou da Cuba ), fazia parte da antiga estrada romana que ligava Faro a Évora e Mérida e continua ainda possibilitar a ligação entre as margens da Ribeira de Odivelas, ao fim de mais de dois mil anos. Este vinho é uma homenagem ao legado Romano espalhado pelas terras Alentejanas, e presente nas mais diversas formas, sendo uma das mais destacadas exactamente a cultura vinícola e os métodos de produção que perduram até aos dias de hoje. Produzido na Herdade das Assentes de Baixo, a partir de uvas criteriosamente seleccionadas e vindimadas à mão. Vindima:  Produzido a partir de uvas criteriosamente seleccionadas e vindimadas á mão no seu ponto óptimo de maturação. Vinificação: Vinificado em lagares pelo processo tradicional de curtimenta completa, Estagiou em barricas de carvalho francês de 225 lts onde passou por um processo de “ battonage “ Notas de Prova:  Apresenta cor dourada, Aroma rico e imediatamente atractivo, intenso e frutado, cítrico e com notas bem marcadas de frutos tropicais tão características de Antão Vaz do “ país das uvas “. O paladar é macio e equilibrado e de final frutado e longo, gordo e aveludado. Leve com muito boa acidez que lhe confere grande frescura Sugestões Gastronómicas:  Ideal para acompanhamento acompanhar carnes brancas, saladas frias, marisco, pratos de peixe cozinhado, grelhados, sushi e alguns queijos. Como Servir:  Entre 6 e 8ºC. Dados Analíticos Acidez Total(g/l) – 5.3 PH -3.7 Açucares Totais ( g/l) – 2.3 Teor Alcoólico:  13.0% Vol. Enólogo:  Manuel Vargas .
Morgado da Canita Branco
Nome: Morgado da Canita Classe: Vinho Branco Região: Moura - Alentejo Designação: Vinho Regional Alentejano Castas: Antão Vaz, Arinto, Perrum e Roupeiro. Vinificação: Sistema tradicional de (bica-aberta) com esmagamento das uvas sem desengace. Decantação estática do mostro durante 48 horas a uma temperatura de 10ºC. Fermentação em cubas de aço inox a uma temperatura de 17º a 18º C. Longevidade: 2 a 3 anos. Nota de Prova: Cor Citrina a palha claro. Aroma frutado intenso. Sabor Frutado com acidez muito típica da casta predominante. Sugestões Gastronómicas: Servir com peixe, particularmente grelhados ou como aperitivo. Como Servir: Entre 10 e 12º C. Teor Alcoólico: 13.5% Vol. Enólogo: João Melícias Duarte
Santos Jorge Herdade Machados Antão Vaz
Nome:  Herdade dos Machados Classe:  Vinho Branco Região: Moura -  Alentejo Designação:  D.O.C. Alentejo Castas:  Antão Vaz Vinificação: Sistema tradicional de bica aberta com esmagamento das uvas sem desengace, decantação estática do mostro durante 48 horas a uma temperatura de 10ºC, fermentação em cubas de aço inox a uma temperatura de 17 a 18º C. Cor:  Citrino Aroma:  Frutado Intenso Sabor:  Frutado com acidez muito típico da casta. Final de Prova:  Médio/Longo Sugestões Gastronómicas:  Servir com peixe, particularmente grelhados ou com mariscos. Como Servir: .Entre 10 e 12º C. Teor Alcoólico:  13.5% Vol. Enólogo:  João Melícias Duarte
Procura Branco Portalegre ( Susana Esteban )
Nome:  Procura Classe:  Vinho Branco Designação:  Vinho Regional. Alentejo Castas: Mistura de castas tradicionais de Portalegre Dois anos depois de ter encontrado as vinhas para o Procura tinto, encontrei em Portalegre, numa zona muito mais fresca do que o resto do Alentejo, uma vinha única e excepcional. Uma vinha velha de 80 anos com mistura de castas e baixíssima produção, situada na Serra de São Mamede. A sua composição, idade e localização proporcionam uma frescura e complexidade pouco habituais no Procura Branco, dando origem a este vinho único e extraordinário. Vinificação:  Iniciou a fermentação em cuba de inox com controlo de temperatura. Finalizou a fermentação em barricas de carvalho francês usadas. Estágio:  8 meses em barricas de carvalho francês usadas Notas de Prova: O nariz austero mostra notas de aromas cítricos e de palha seca. Mineral e muito elegante, oferece uma enorme complexidade de aromas, mostrando-se elegante e complexo, concentrado e com uma acidez firme e final tens Sugestões  Gastronómicas:  Acompanha bem com peixe cozido ao vapor à Portuguesa, com batata e cenoura. Queijos suaves de média cura. Como Servir:  Entre 10 e 12 Análise Físico-Química PH  3.3 Acidez Total ( G/DM3 ) 5.8 Teor Alcoólico:  13.0% Vol. Enólogo:  Susana Esteban
Aventura Branco Portalegre (Susana Esteban)
Nome:  Aventura Classe:  Vinho Branco Designação:  Vinho Regional. Alentejo Castas: Vinha de Portalegre de 30 anos com mistura de castas tradicionais, onde a casta principal é o Viosinho Depois de 15 anos a trabalhar como enóloga, decidi embarcar na AVENTURA de tornar-me produtora de vinhos. Uma AVENTURA fascinante e um desafio do qual pretendo desfrutar ao máximo. Espero que gostem e desfrutem dos meus vinhos, tanto como eu desfrutei fazê-los Vinificação:  Manual, em caixas de 20 kg com escolha rigorosa à entrada da adega. Em cubas de inox de pequena capacidade, com controlo de temperatura Estágio:  8 meses em barricas de carvalho francês usadas Notas de Prova: Cor amarela palha. Sóbrio, mas perfumado, destaca-se pelas notas de alfazema, restolho e pêssego, bem como pela sensação profunda de mineralidade. Cheio, mas muito fresco, entroncado e profundo, termina mineral, seco e tenso Sugestões  Gastronómicas:  Acompanha bem com peixe cozido ao vapor à Portuguesa. Como Servir:  Entre 10 e 12 Análise Físico-Química PH  3.2 Acidez Total ( G/DM3 ) 5.5 AÇÚCAR RESIDUAL (G/DM3)0.6 Teor Alcoólico:  12.5% Vol. Enólogo:  Susana Esteban
Dominó Branco Niepoort
Nome:  Dominó Classe:  Vinho Branco Designação:  D.O.C. Alentejo Vinhas Várias:  Idade das Cepas 70 anos. Castas:  Alicante Branco, Moscatel Nunes, Fernão Pires, Dorinto, Tamarez, Síria, Pérola e outras Monte das Pratas é uma pequena vinha de uva branca, a oitocentos metros de altitude, virada a norte-poente, com uma idade média de setenta anos, localizada na aldeia do Reguengo. A ideia subjacente ao Dominó é a de vinificar parcela a parcela para que se consiga imprimir o carácter tão diversificado desta magnífica região que é Portalegre Vinificação:  2011 foi um ano muito equilibrado. Com chuvas na sua altura própria, uma belíssima Primavera e um Verão muito seco mas sem calor excessivo, equilibrado e ameno. A vindima foi atrasada durante uma semana e realizou-se no dia 10 de Setembro. O talhão mais antigo tem três filas com cerca de cinquenta pés de Moscatel Nunes. Ao contrário do ano anterior, este também foi vindimado e faz parte do lote. Da prensagem sem desengaçar resultou um mosto doce, acídulo e herbáceo. Decantou sem auxílio numa cuba, durante vinte e quatro horas. No dia seguinte, repartiu¬-se entre três barricas de carvalho francês Allier, onde fermentou sem inoculação Notas de Prova:  Com uma acidez rasgada, resultante de um Verão mais ameno, a boca mantém-se firmemente seca. O nariz está surpreendentemente floral, dada a mais longa maturação tanto do Fernão Pires, como da nova contribuição do Moscatel. Acaba por ser uma surpresa, um vinho com um perfil de nariz tão delicado e uma boca tão austera. A prova num copo mais fechado e a temperaturas mais baixas vai evidenciar as notas florais e a prova num copo mais aberto deixará na boca uma maior sensação de frescura e mineralidade Sugestões  Gastronómicas:  Acompanha bem com peixe cozido ao vapor à Portuguesa, com batata e cenoura. Queijos suaves de média cura. Como Servir:  Entre 16º e 18 Análise Físico-Química Açúcar residual ( G/DM3 )  1.7 PH  3.3 Acidez Total ( G/DM3 ) 5.3 Acidez volátil ( G/DM3 ) 0,51 SO2 Livre de Enchimento ( MG/DM3 ) 139 Teor Alcoólico:  12.0% Vol. Enólogo:  Dirk Niepoort