Teppo Peixe Branco Niepoort
Nome:  Teppo Peixe Classe:  Vinho Branco Região : Vinho Verdes Designação:  Vinho Regional Minho Idade das Cepas:  30 a 50 anos Castas:  Avesso, Trajadura e Azal Teppo:  é em japonês, o nome duma arma levada para o Japão pelos portugueses, no século XVI e que revolucionou a forma de guerra no país. Vinificação: As uvas provêm da Casa de Vilar na sub-região de Sousa, de uma vinha com Alvarinho e Avesso, e da Quinta de Val Boa, situada na sub-região de Basto, onde neste momento, vinificamos e engarrafamos todos os vinhos verdes. Este vinho foi elaborado a partir das castas Avesso, Trajadura e Azal, todas elas vinificadas separadamente em cubas de inox e com estágio de 10 meses. Notas de Prova:  De cor ligeira e brilhante, o Teppo Peixe apresenta um aroma com notas citrinas e de flores brancas. Ligeiramente salino na boca, mostra-se muito delicado, envolvente e com uma elevada acidez que permite um final de boca refrescante e cristalino. O ligeiro carbónico presente, quando acompanhado por pratos de influência asiática, eleva o vinho e funciona quase que como um remate final para limpar o palato. Leve, discreto e elegante, é um vinho muito fácil de beber. Deve beber-se bem fresco em copos tipo Riesling. Sugestões Gastronómicas:  Tempura, Sushi, Sashimi, Mariscos. Pratos com soja e/ou miso. Como Servir:  Entre 8 e 10º C: Teor Alcoólico:  11.0% Vol. Análise Físico-Química Açúcar residual ( G/DM3 )  4.8 PH  2.92 Acidez Total ( G/DM3 ) 7.2 Acidez volátil ( G/DM3 ) 0,54 SO2 Livre de Enchimento ( MG/DM3 ) 21 SO2  Total ( MG/DM3): 61 Enólogo:  Dirk Niepoort
Wana Bi Alvarinho Branco Niepoort
Nome:  Wana Bi Classe:  Vinho Branco Região : Vinho Verdes Designação:  Vinho Regional Minho. Castas:  Alvarinho Das vinhas da Casa de Vilar, onde Regina Pessoa e Abi Feijó vivem e encontram inspiração para as suas criações, entre elas o livro Niepoortland de Regina Pessoa, criou-se um Alvarinho fermentado em barrica, com um perfil muito particular e diferente do estilo expressivo e aromático desta casta da região do Minho. Tal como o nome sugere, o perfil de Wanabi é o de um vinho que tenta ser um Alvarinho distinto Vinificação: As uvas são provenientes de uma vinha de 1,6 ha da Casa de Vilar, plantada na sub-região do Vale do Sousa. O vinho vinificou e estagiou em barricas usadas de carvalho francês. Após 10 meses em barrica, foi engarrafado em Junho de 2016 Notas de Prova:  De perfil muito discreto mas delicado, com ligeiro aroma citrino e de ervas frescas, é um Alvarinho onde prevalece o equilíbrio e a delicadeza de aromas ao invés das notas de frutos tropicais. As notas tostadas de barrica encontram-se muito bem integradas. Na boca, tem um bom volume, boa acidez e mineralidade, é envolvente e com muita harmonia. Final refrescante com presença e ligeira cremosidade da barrica. Um Alvarinho indicado para a mesa e cujo envelhecimento em garrafa será interessante acompanhar Sugestões Gastronómicas:  Acompanha bem mariscos de concha, peixes delicados ou queijos suaves. Sugestões vegetarianas: Salada César, beringelas, húmus. Como Servir:  Entre 8 e 10º C: Teor Alcoólico:  12.0% Vol. Análise Físico-Química Açúcar residual ( G/DM3 )  3 PH  3.2 Acidez Total ( G/DM3 ) 5.14 Acidez volátil ( G/DM3 ) 0,54 SO2 Livre de Enchimento ( MG/DM3 ) 18 SO2  Total ( MG/DM3): 57 Enólogo:  Dirk Niepoort
OLO Branco Niepoort
Nome:  OLO Classe:  Vinho Branco Região : Vinho Verdes Designação:  Vinho Regional Minho Castas:  Arinto, Avesso, Trajadura e Alvarinho O OLO nasce das melhores vinhas plantadas na sub-região de Basto. É um branco inspirado no rio Olo, um dos mais belos rios da região dos Vinhos Verdes, com impressionantes paisagens de granito e cascatas (“fisgas”). A abundância de água e de granito nesta zona, contribuem para a frescura natural e forte mineralidade do terroir desta região. Para produzir este vinho, seleccionámos as vinificações mais finas e delicadas com o objectivo de criar um vinho sério, complexo e muito harmonioso. Vinificação: As várias castas que compõe este vinho, Avesso, Arinto, Trajadura e Alvarinho, foram prensadas e fermentadas em conjunto, em cubas de inox, durante 10 meses a baixa temperatura. No final adicionou-se ao blend uma pequena quantidade de Alvarinho fermentado em barrica Fermentação:  Em Inox e o Alvarinho em barricas usadas de carvalho francês. Notas de Prova:  De cor muito ligeira e quase cristalina, o OLO demonstra um aroma muito fino e delicado, com notas de pedra, gengibre, fruta branca, algumas flores secas e notas de pepino. A barrica está muito discreta, prevalecendo a fruta delicada. Fresco, muito fino, com inúmeras camadas no palato, vai crescendo durante a prova de boca, com muito elegância e harmonia. Um branco extremamente delicado, mas que graças à sua acidez proporciona um final de boca firme, complexo e muito longo. Embora com aromas diferentes da casta Riesling, lembra-nos muito os vinhos finos de Mosel pela sua delicadeza e harmonia Sugestões Gastronómicas:  . Acompanha bem mariscos delicados (Lavagante, Lagosta, Camarão), Sushi e peixes de pele vermelha como salmonete ou cantaril. Como Servir:  Entre 8 e 10º C: Teor Alcoólico:  11.0% Vol. Análise Físico-Química Açúcar residual ( G/DM3 )  4.4 PH  3.17 Acidez Total ( G/DM3 ) 5.09 Acidez volátil ( G/DM3 ) 0,5 SO2 Livre de Enchimento ( MG/DM3 ) 18 SO2  Total ( MG/DM3): 43 Enólogo:  Dirk Niepoort
Muros Antigos Escolha Verde
Nome:  Muros Antigos Escolha Classe:  Vinho Verde Região:  Sub-Região Monção e Melgaço Denominação:  D.O.C.  Vinhos Verdes Castas: 20% Alvarinho, 40% Loureiro e 40% Avesso. O Alvarinho transmite estrutura e corpo, o Loureiro intensidade aromática e o Avesso acidez e mineralidade. Vinificação:  Prensagem suave da uva inteira desengaçada. Clarificação extrema do mostro a frio Fermentação:  A baixa temperatura entre 12-16º C .Estagio mínimo de 4 meses sobre borras finas Notas de Prova:  Aroma floral e frutado. Sabor fresco e frutado. Boa estrutura e equilibrado. Sugestões Gastronómicas:  Acompanha bem com pratos peixe e marisco. Como Servir:  Entre 7 e 9ºC. Teor Alcoólico:  12% Vol. Acidez Total: 6,2 g /L Ácido Tartárico Enólogo:  Anselmo Mendes    
Muros Antigos Loureiro
Nome: Muros Antigos Classe: Vinho Verde Região: Sub-Região Monção e Melgaço Denominação: D.O.C. Vinhos Verdes Casta: 100% Loureiro Vinificação: Curta maceração. Prensagem suave. Decantação durante  48 horas. Fermentação: Em cubas de inox com temperatura controlada entre 12 e 20ºC. Notas de Prova: “É um vinho internacional e elegante onde as qualidades da casta Loureiro estão bem presentes. Vasta intensidade aromática, frutado e floral, combinado com uma suave acidez”. Sugestões Gastronómicas: Acompanha bem com pratos de Peixe e Marisco. Como Servir: Entre 7 e 9ºC. Teor Alcoólico: 12% Vol. Enólogo: Anselmo Mendes PRÉMIOS E CLASSIFICAÇÕES: •  Top 100 Melhores Compras 2007 – Revista Wine & Spirits: 90 pontos •  Melhores da Região – Revista de Vinhos – 2005 e 2006 •  Melhor Compra – Revista de Vinhos – 2005, 2006, 2007 e 2008 •  90 Pontos – no Parker´s Wine Buyer´s Guide •  92 Pontos – Revista Sibaritas – Grupo Penin – Janeiro 2009 • Melhores da Região 2009 – Revista de Vinhos 2011 • Medalha de Prata – IWC 2011 • Commended IWC “The Loureiro is a single variety wine, and it is simply delicious, ripe and succulent” Robert Parker
Muros Antigos Alvarinho
Nome: Muros Antigos Classe:  Vinho Verde Região:  Sub-Região Monção e Melgaço Denominação:  D.O.C. Vinhos Verdes Castas:  100% Alvarinho Vinificação:  Muros Antigos é um vinho branco 100% Alvarinho, obtido pela prensagem suave de uvas inteiras numa prensa vertical clássica. Elaborado a partir de uvas provenientes de vinhas seleccionadas por Anselmo Mendes, Muros Antigos é assim um vinho moderno com forte caracter varietal.
  • Sem desengace, prensa vertical e decantação 48 horas.
Fermentação:  em pequenas cubas de inox a velocidade constante durante 15 dias. Estágio de 4 meses sobre as borras finas com removimento semanal. Notas de Prova:  Trata-se de um vinho com um aroma muito intenso, com nuances de fruto tropical, destinto e elegante onde as qualidades da castas estão bem vincadas. Um vinho macio na boca, Frutado á casta com um final fresco e  longo com nuances minerais. Sugestões Gastronómicas:  Acompanha bem com pratos peixe e marisco. Teor Alcoólico:  12.5% Vol. Enólogo:  Anselmo Mendes CLASSIFICAÇÕES E PRÉMIOS:
  • TOP 100 – Revista Wine Enthusiast Magazine ( Dezembro 2006)
  • Prémio do Público (1º lugar) – Revista Proefschrift Magazine Holland em 2006
  • 92 Pontos – Parker´s Wine Buyer´s Guide
  • 93 Pontos – Revista Sibaritas – Grupo Penin – Janeiro 2009
  • 91 Pontos – WineEnthusiast (Novembro 2008)
  • Medalha de Ouro no Internacional Wine Challenge 2009
  • Troféu Melhor Branco Português 2009
  • Troféu Melhor Alvarinho Internacional 2009
  • 17,5 Pontos – Revista de Vinhos – colheita 2008
  • Vencedor da Prova de Alvarinhos Revista de Vinhos 2009
  • Medalha de Bronze 2011 – Decanter WWA
  • Medalha de Prata IWC 2012
  • Medalha de Prata 2012 - Decanter WWA
 
Pardusco Anselmo Mendes Verde
Nome: Pardusco Classe:  Vinho Verde Região:  Minho - Monção e Vale do Lima Denominação:  D.O.C. Vinhos Verdes Castas:  Alvarelhão, Pedral, Cainho, Barraçal e Vinhão. Vinificação:  Vindima manual. Desengace total e maceração pelicular a frio. Ligeira curtimenta ( 12 horas ) e longa fermentação a baixa temperatura. A malolática é feita na totalidade. Rápido amadurecimento em barricas velhas de Alvarinho, apenas para micro-oxigenar o vinho. Notas de Prova:  Cor rubi mediana, linda olfactivo singular fruta vermelha ácida, depois esfumaçado e musgo, mas o carácter vinoso domina leve, cheio de frescura, guloso e muito harmonioso.. Sugestões Gastronómicas:  Excelente como vinho aperitivo. Cogumelos recheados com farofinha  de bacon. Arroz de lampreia. Delícia com torresmos crocantes. Como Servir:  Entre 14 e 16ºC Teor Alcoólico:  12.5% Vol. Enólogo:  Anselmo Mendes Prémios mais Relevantes: JANSIS ROBINSON: 17 de 20 pontos REVISTA DE VINHOS: 16 pontos
Pardusco Private Verde Tinto
Nome: Pardusco Private Classe:  Vinho Verde Tinto Região: Monção e Melgaço Denominação:  D.O.C. Vinhos Verdes Castas:   Alvarelhão, Pedral, Alvarinho Tipo de vinho:  Pardusco Private é um vinho tinto feito segundo as antigas tradições Portugue­sas, ou seja, um vinho de lote com estágio prolongado em barricas usadas. Neste vinho predominam as castas Alvarelhão, Pedral e Alvarinho. Após a vinificação destas em conjunto seguiu-se um estágio em barricas usadas durante 24 meses. Vinificação:  Uvas colhidas manualmente em caixas pequenas e transportadas para a adega num curto espaço de tempo. Prensagem muito suave de uvas inteiras desengaça­das. Fermentação em cuba de inox seguido de estágio em barricas usadas de carvalho francês de 225 litros durante 24 meses e estágio mínimo de 12 meses em garrafa. Notas de Prova:  Cor rubi aberta. Aromas intensos a frutos vermelhos maduros envoltos em aromas finos de fumo, tosta e cedro. No palato é seco, com uma acidez bem vincada. Ele­vada concentração de frutos vermelhos e compota bem equilibrada com sabores minerais como couro e terra. Termina longo, sedoso e muito mineral.. Como Servir:  Entre 14 e 16ºC Teor Alcoólico:  12.5% Vol.  pH: 3,42 Acidez Total:  5,5 g/L Enólogo:  Anselmo Mendes
Muros Antigos Avesso
Nome:  Muros Antigos  Avesso Escolha Região:  Sub-Região Monção e Melgaço Denominação:  D.O.C. Vinhos Verdes Casta:  100% Avesso A casta Avesso é uma das mais originais castas Portuguesas. Produz vinhos de extrema mineralidade com grande capacidade de envelhecimento. Vinificação:  Curta maceração pelicular.. Prensagem suave da uva inteira desengaçada. Clarificação a frio durante 48 horas Fermentação:  Em cubas de inox com temperatura controlada entre 12 e 16ºC. Estágio mínimo de 4 meses sobre borras finas. Notas de Prova:  Aromas a fruta branca de caroço. Fresco, forte mineralidade com final frutado e seco. Sugestões Gastronómicas:  Acompanha bem com pratos de Peixe e Marisco Como Servir:  Entre 7 e 9ºC. Teor Alcoólico:  12,5% Vol. Enólogo:  Anselmo Mendes
Vinhão Verde Tinto Escolha
Nome: Vinhão Verde Tinto Classe:  Vinho Verde Tinto Região:  Minho Denominação:  D.O.C. Vinhos Verdes Casta:  100% Vinhão. Tipo de Vinho:  Vinhão Anselmo Mendes é obtido a partir da típica casta Vinhão produzida em Ponte da Barca na sub-região do Lima com solos graníticos, profundos e pobres em matéria orgânica. As vinhas são em meia encosta com exposição a sul e influência marcadamente Atlântica. A vindima tem lugar em Outubro por forma a garantir uma total e perfeita maturação das uvas garantindo em simultâneo a preservação da sua acidez particular. Estas características vão assim acentuar a frescura e intensidade aromática desta casta. Vinificação:  Uvas colhidas manualmente em caixas pequenas e transportadas para a adega num curto espaço de tempo. Desengace total. Curta maceração pelicular. Clarificação a frio 48h-72h. Fermentação longa a baixa temperatura entre os 14-18°C. Notas de Prova:  Cor violácea carregada. Aromas a frutos silvestres e vermelhos, particularmente ameixa e cereja. Acidez bem vincada mas redonda com taninos presentes mas macios e bem integrados. Sugestões Gastronómicas:  Os vinhos da casta Vinhão acompanha bem pratos fartos e saborosos da cozinha regional. Como Servir:  Entre 14 e 16ºC Teor Alcoólico:  12% Vol. Vol. pH 3,37 Acidez Total 7,9 g/L Enólogo:  Anselmo Mendes
Muros de Melgaço Alvarinho
Nome: Muros de Melgaço Classe: Vinhos Verdes Região: Sub-Região Monção e Melgaço Denominação: D.O.C. Vinhos Verdes Castas: 100% Alvarinho Notas Informativa: Primeira edição deste vinho em 1998. O nome “Muros” tem a ver com a sua propriedade que se situa numa encosta sul-poente desenvolvida em muros antigos de granito onde o produtor cultiva exclusivamente a casta Alvarinho. Anselmo Mendes desenhou este vinho a partir de três princípios: escolha de uvas com maturação equilibrada, processos tecnológicos suaves e madeira para fermentação e estágio. Para Anselmo Mendes esta desde que bem doseada, torna os vinhos mais complexos e de grande homogeneidade e estabilidade. Vinificação: Sem desengace e prensa  vertical e decantação 48 horas. Fermentação: Em barricas novas e usadas de carvalho Francês, provenientes da Tonnellerie Berthomie .Muros de Melgaço tem um potencial de longevidade mínimo de 5 anos. Notas de Prova: Apresenta-se bastante equilibrada, acidez no ponto, bom corpo e longo, aromas de madeira conjugados com fruto cítrico, floral e mineral. Teor Alcoólico: 13.0% Vol. Enólogo: Anselmo Mendes PRÉMIOS E CLASSIFICAÇÕES : • 18,5 Pontos – Revista de Vinhos - Muros Melgaço 2000 • 18 Pontos  - Revista de Vinhos - Muros Melgaço 2001 • 18,5 Pontos- Revista de Vinhos – Muros de Melgaço 2002 • 86 Pontos – Wine Spectator- Muros de Melgaço 2001 • 85 Pontos - Wine Spectator- Muros de Melgaço 2000 • Melhor Alvarinho – Revista de Vinhos – Muros de Melgaço 1998, 1999, 2000, 2001, 2003 e 2004. • Melhor da Região - Revista de Vinhos – 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006 e 2007 • Prémio Excelência – Revista de Vinhos – Muros de Melgaço 2000, 2002, 2003, 2005,  2007 e 2008. • 94 Pontos – Revista Sibaritas, José Peñin – Muros de Melgaço 2007 • 18 Pontos – Revista de Vinhos – Muros de Melgaço 2008
EXPRESSÕES Anselmo Mendes Verde
Nome:  EXPRESSÕES Classe:  Vinhos Verdes Região: Sub-Região - Monção e Melgaço Denominação / Denomination:  D.O.C. Vinhos Verdes Castas / Varieties:  100% Alvarinho Tipo de Vinho:  Vinho branco feito de uvas da casta Alvarinho Exclusivamente de Monção e Melgaço. Este vinho expressa o potencial desta sub-região e da sua casta rainha assim como os anos dedicados por Anselmo Mendes ao estudo desta casta fermentada e estagiada em barricas. Vinificação:  Prensagem muito suave de uvas inteiras desengaçadas. Clarificação com frio por período longo. Fermentação em barricas usadas de carvalho francês de 400 litros. Estagio nestas barricas durante 9 meses com batônnage sobre borras totais. Notas de Prova:  Aromas muito finos de baixa intensidade onde se nota a madeira de elevada qualidade. Elegante e extremamente mineral com nuances fumadas. Excelente estrutura e acidez. Termina muito elegante e longo com final delicado da casta Alvarinho Como Servir: Entre 8º e 10º Teor Alcoólico/ Álcohol:  13.0% Vol. Enólogo:  Anselmo Mendes TYpe of Wine: White wine made from Grapes of the Alvarinho variety produced exclusively in Monção and Melgaço. This wines expresses the potential of this sub-region and its queen variety as also the years dedicated by Anselmo mendes to the study of this grape fermented and aged in barrel. Key Points:  Very soft pressing of the whole de-stemmed grape. Cold clarification for a long time. Fermentation in used, 400 litre French oak barrels. Ageing in these barrels for 9 months with             “ batonnge “ on the whole lees. Tasting Notes:  Very fine aromas of low intensity in which the high quality of the wood is noted. Elegant and extremely mineral with smoky nuances: Excellent stucture and acidity. Long very elegant finish with the delicacy of the Alvarinho variety.