Gonçalves Faria Tinto 2014 Bairrada Niepoort
Nome: Gonçalves Faria Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Castas:  Baga Idade das Cepas:   70 anos Fermentação: Lagar/Angoreta. Vinificação:  2013 foi um ano húmido, com chuva durante o Inverno e a Primavera. Como consequência disso, a rebentação ocorreu quinze dias mais tarde do que no ano anterior e todo o ciclo vegetativo se atrasou. O Verão não foi tão quente como habitualmente e as noites foram bastante frias nas duas últimas semanas de Agosto. A vindima começou em fins de Setembro em vinhas velhas. A maturação foi muito equilibrada, com um bom teor de açúcar nas uvas e um teor de ácido málico relativamente alto, tendo conferido bons pH ao vinho, resultando numa acidez total maior do que no ano anterior. Os vinhos tintos são equilibrados e com boa frescura. O Gonçalo Faria tinto 2013 provém de várias parcelas de vinhas velhas. Foi vinificado em lagar aberto, onde fermentou durante 4 semanas e terminou a fermentação em tonel. A maloláctica ocorreu em tonel usado de 2500L, onde o vinho estagiou durante 20 meses. Foi engarrafado sem filtração Nota Provas:  Com uma bonita cor violeta de ligeira concentração, o aroma é muito fino, profundo e complexo. Notas de frutos do bosque em harmonia com um intenso perfil mineral, onde as notas de giz saltam do copo. Embora muito jovem, impressiona pela harmonia, com os taninos sedosos envolvidos em notas de fruta fresca. De enorme estrutura e potência, todo o conjunto é delicado, elegante e muito fino, graças à frescura da fruta e à excelente acidez. Final refrescante, quase salgado e muito focado no terroir de calcário. Um vinho perfeito para beber em novo e sentir toda a sua harmonia, mas que envelhecerá com grandeza. Sugestões Gastronómicas:  Pratos com alguma gordura (bacalhau, polvo, porco preto) e casa muito bem com arroz de marisco. Como Servir:  Entre 14º e 16ºC Teor Alcoólico:  11% Vol. Análise Físico-Química Açúcar Residual  G/DM3 )  1.2 Acidez Total ( G/DM3 ) 5.44 Acidez Volátil ( G/DM3 ) 0,76 SO2 Total ( MG/DM3 ) 44 Enólogo:  Dirk Niepoort
Buçaco Tinto Bairrada
Nome: Buçaco Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Castas:  70% Baga, 30% Touriga Nacional Idade das Cepas:  20 a 40 anos No início do Século XIX, nascia uma das mais interessantes páginas do Vinho Português, nascia um vinho que viria a tornar-se um ícone, alvo de cobiça, mas que sempre foi mantido, por vontade própria, fora das luzes da ribalta. O seu criador, Alexandre de Almeida, importou o conceito de aliar a hotelaria de luxo a uma adega e um vinho próprio. Nasciam assim os grandes Vinhos do Buçaco. Se olharmos para trás, desde as suas primeiras colheitas, percebemos a importância deste ícone, que foi servido a reis, a rainhas, a chefes de estado, como comprovam as ementas, orgulhosamente guardadas no Hotel Palace Bussaco. Os vinhos do Buçaco, eram assim mesmo, objectos de culto, limitados a círculos muito fechados, à elite. Os Buçaco, foram, e ainda o são, sempre vinificados da mesma maneira, com os mesmos preceitos de antigamente. A sua "mistura", das regiões do Dão e da Bairrada, garantia assim, um vinho genial, que evoluía nobremente em garrafa e os seus fantásticos e nobres rótulos, que mantêm até aos dias de hoje, o símbolo do seu pedigree, da sua estirpe. Beber um Buçaco é viajar no tempo, é beber um vinho glorioso, criado por Alexandre Almeida, um visionário. Oportunidade esta que todos os que apreciam o Vinho, deveriam ter, nem que seja uma vez na vida Vinificação: Optou-se por engarrafar este vinho proveniente da Vinha da Mata, uma vinha singular na Bairrada, em plena Mata do Buçaco. É engarrafado apenas em anos excepcionais. O vinho fermenta e estagia em barricas de carvalho francês durante 12 meses. A fermentação maloláctica ocorre em barrica Notas de Provas: O Vinha da Mata é vigorosa, apresentando um perfil aromático complexo. Com fruta preta, flores e uma boa tosta, é um vinho estruturado, com taninos presentes mas muito finos. Revela-se complexo e intenso num final de boca muito longo. Um vinho para durar. "Beber um Buçaco é viajar no tempo, é beber um vinho glorioso, criado por Alexandre de Almeida, um visionário. Todos os apreciadores de vinho deveriam ter essa oportunidade, pelo menos, uma vez na vida." Sugestões Gastronómicas:  Pratos de caça (perdiz, javali), feijoada, bacalhau assado. Sugestões vegetarianas:  pratos com leguminosas (feijão vermelho, lentilhas). Como Servir:  Entre 16º e 18ºC Teor Alcoólico:  13.5% Vol.
Merlot Tinto Bairrada Niepoort
Nome: Merlot Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Castas:  Merlot Idade das Cepas:  20 anos Apesar de se considerar a Bairrada como o terroir perfeito para a casta Baga, existe na Quinta de Baixo uma pequena parcela de Merlot, com pouco mais de 1 hectare, plantada há cerca de 20 anos e que é um desafio para Dirk Niepoort, sendo ele um apaixonado pelos vinhos velhos de Bordéus, de onde esta casta é originária. Com esta vinha, a intenção é produzir-se um Merlot com carácter, que expresse o fantástico potencial dos solos argilo-calcários, característicos desta região. O 2012, a primeira edição, foi vinificado em barricas usadas de carvalho francês, com mínima intervenção, seguindo os primeiros passos da Biodinâmica. Vinificação: A vinificação decorreu durante o mês de Setembro. Após uma selecção na vinha, foi efectuada uma segunda selecção na mesa de escolha. Fermentou em lagar com 20% de engaço e pisa a pé. O vinho estagiou durante 20 meses em barricas de carvalho francês, onde ocorreu a fermentação maloláctica Notas de Provas: De cor grená de média concentração, o Merlot 2012 tem um aroma clássico de frutos vermelhos, aromas de bosque e notas de couro muito delicadas. A barrica está perfeitamente integrada, dando complexidade aromática num perfil elegante mas com alguma rusticidade. No palato, mostra-se firme e com intensidade, com um bom equilíbrio entre os taninos e a acidez. Final de boca longo, bastante mineral, com frescura e persistência. O longo estágio em garrafa permitiu que o vinho se mostre agora polido, muito harmonioso e perfeito para pratos de comida tradicional Sugestões Gastronómicas:  Pratos de caça, cogumelos. Estufados de Vitela. Arroz de Pato à antiga. Sugestões vegetarianas:  Cogumelos shiitake e/ou Porccini. Trufa Como Servir:  Entre 16º e 18ºC Teor Alcoólico:  13.5% Vol. Análise Físico-Química Açúcar residual  G/DM3 )  1.9 Acidez Total ( G/DM3 ) 6.08 Acidez Volátil ( G/DM3 ) 0,55 SO2 Livre de Enchimento ( MG/DM3 ) 49 Enólogo:  Dirk Niepoort
Charme Tinto Bairrada 2012 Niepoort
Nome: Charme Tinto Bairrada 2012 Niepoort Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Castas:  Baga Idade das Cepas:  80 anos O Charme Bairrada é produzido a partir de uvas provenientes das vinhas da Quinta de Baixo, com cerca de 80 anos. Este é um vinho onde a concentração, fruta, complexidade e elegância se equilibram de uma forma única, originando um excelente tinto. Feito para ser consumido jovem, apresenta no entanto um grande potencial de envelhecimento. Vinificação: O ano de 2012 ficou marcado pela falta de chuva na região da Bairrada. Como consequência o ciclo vegetativo da vinha começou, em media,15dias mais tarde do que nos anos anteriores. Por outro lado, o Inverno de 2012 ficou marcado pelas baixas temperaturas, o que permitiu um crescimento adequado e equilibrado da vegetação. O período de maturação foi menos quente do que o habitual e as temperaturas frescas permitiram que as uvas apresentassem uma boa acidez total, factor essencial para um palato fresco e equilibrado. A vinificação decorreu durante o mês de Setembro. Apos uma selecção na vinha, foi efectuada uma segunda selecção na mesa de escolha. A totalidade do vinho fermentou em lagar com 50% engaço ,com sistema de pisa a pé. O vinho estagiou durante 20 meses em barrica de carvalho francês, onde ocorreu a fermentação malolática. Notas de Provas:  O Charme Bairrada 2012, é um vinho leve na cor , onde mostra um nariz vibrante e muito complexo, com notas de folhas de chá verde, proveniente do engaço, notas terrosas argila/calcário. Na boca, fresco e ainda muito jovem, tem uma boa acidez e uns taninos elegantes para Baga, com um final de boca longo, fresco e mostrando o terroir Sugestões Gastronómicas:  Pratos de carnes brancas, Massas e Sushi. Como Servir:  Entre 16º e 18ºC Teor Alcoólico:  11.7% Vol. Análise Físico-Química Açúcar residual  G/DM3 )  1.5 Acidez Total ( G/DM3 ) 5.5 Acidez Volátil ( G/DM3 ) 0,84 SO2 Total( MG/DM3 ) 78 APTO PARA VEGANOS & VEGETARIANOS  Sim Enólogo:  Dirk Niepoort
São Domingos Tinto Bairrada
Nome:  São Domingos Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Castas:  Baga (40%), Touriga-Nacional (30%) e Tinta-Roriz (30%). História:  Um novo olhar para a Bairrada permite descobrir vinhos modernos e elegantes. A experiência de 75 anos permitiu um precioso conhecimento da região, onde a casta Baga marca vincadamente a sua presença, mostrando vinhos para um consumidor jovem que pretende um estilo agradável ao palato e boa companhia gastronómica. Nota de Prova:  Focando na fruta, elegante e madura, com notas fumadas e sugestões de especiarias e compota. Boa presença na boca, de taninos firmes e acidez bem integrada revelando muita frescura e persistência final.. Sugestões Gastronómicas:  Especialmente indicado para carnes vermelhas grelhadas e queijos. Como Servir:  Entre 16-18ºC. Teor Alcoólico:  13%  Vol. Enólogo:  Susana Pinho e Nuno Bastos
São Domingos Reserva Tinto
Nome: São Domingos Reserva Classe: Vinho Tinto Região: Bairrada Designação: D.O.C. Bairrada Castas: Baga (40%), Touriga-Nacional (30%) e Merlot (30%). História: Um novo olhar para a Bairrada permite descobrir vinhos modernos e elegantes. A sempre presente Baga acarinhada pela Touriga-Nacional e perfumada pela Merlot mostra um estilo agradável a qualquer palato. Fermentação: Após desengace total a fermentação em cuba, 70% estagiou em barricas de carvalho francês e americano durante 9 meses. A Prova: Cor rubi intensa. Aroma quente e sofisticado, com notas de chocolate e fruto balsâmico. Boca volumosa, com taninos e acidez bem casados, de final persistente. Sugestões Gastronómica: Especialmente indicado para carnes vermelhas grelhadas ou queijos. Como Servir: Entre 16º e 18ºC Teor Alcoólico: 13,5% Vol. Enólogo: Susana Pinho e Nuno Bastos PRÉMIOS Medalha de Bronze - IWC, International Wine Challenge 2010 Commended - Decanter 2010, World Wine Awards
Lopo Freitas Tinto São Domingos
Nome:  Lopo de Feitas Classe: Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação.  D.O.C. Bairrada Castas:  Baga 85%, Castelão e Tinta Pinheira 15%. Fermentação:  Fermentação das uvas totalmente desengaçadas, a temperaturas de 28º a 30º C, com longas curtimentas e remontagens frequentes. Nota de Prova:  Cor rubi carregado. Aroma intenso, onde sobressai o carácter da casta, com frutos vermelhos bem maduros, plantas silvestres e notas subtis de boa madeira. Na boca é poderoso, com boa acidez, alguma adstringência e grande elegância. Sugestões Gastronómicas:  Especialmente indicado para pratos bem condimentados e com gordura como assados e guisados. Como Servir:  Entre 16º e 18ºC Teor Alcoólico:  14,0% Vol. Enólogo:  Virgílio Loureiro, Susana Pinho e Nuno Bastos
Frei João Tinto Porquê Bairrada
Nome:  Frei João Porquê Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Castas:  Baga(40%), Touriga-Nacional(40%) e/and Merlot (20%) Vinificação: Após vindima manual, selecção rigorosa e desengace total, as uvas maceraram 8 dias em lagares com pisador pneumático a 27 ºC. No final da fermentação maloláctica, parte do vinho estagiou durante 6 meses em pipas avinhadas de carvalho francês. Foi engarrafado após clarificação mínima. Nota de Prova Cor: Granada. Aroma:  Complexo, com notas de frutos negros do bosque e framboesas, bálsamo, vegetais e especiarias. Sabor:  Estruturado, fresco, encorpado e longo Sugestões Gastronómicas:  Carnes vermelhas condimentadas, assadas ou grelhadas, enchidos, queijos e caça, entre outros. Como Servir:  Entre 17º e 18ºC Teor Alcoólico:  13,0% Vol. Análise Físico-Química Acidez volátil ( g acético/l ) 0,57 Acidez total ( g tartárico/l ) ,5,40 ph: 3,45 Extracto seco total ( g/l ): 28,1 Açucares totais ( g/l ): 3,1 SO2  Total ( mg/l ): 106 Potencial de envelhecimento:  No mínimo 10 Anos Enólogo:  José Carvalheira
Frei João Tinto 1980
Nome:  Frei João Tinto 1980 Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Como Servir:  Entre 17º e 18ºC Pratos recomendados:  Carnes, enchidos, queijos e caça, entre outros Teor Alcoólico:  12,1% Vol.
Frei João Bairrada Tinto 1983
Nome:  Frei João Tinto 1983 Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Como Servir:  Entre 17º e 18ºC Pratos recomendados:  Carnes, enchidos, queijos e caça, entre outros Teor Alcoólico: 12.1% Vol.
Frei João Bairrada Tinto 1990
Nome:  Frei João Tinto 1990 Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Como Servir:  Entre 17º e 18ºC Teor Alcoólico:  12% Vol.
Frei João Tinto 1985
Nome:  Frei João Tinto 1985 Classe:  Vinho Tinto Região:  Bairrada Designação:  D.O.C. Bairrada Como Servir:  Entre 17º e 18ºC Pratos recomendados:  Carnes, enchidos, queijos e caça, entre outros Teor Alcoólico:  11,8% Vol